Dermatologista

Tratamento da pele a laser

12/05/2014

Manchas de sol, sardas, vasinhos, pêlos indesejáveis e até rugas sucumbem aos tratamentos a laser. Atualmente existem dois tipos de aparelhagem, os de luz não coerente (conhecidos como aparelhos de luz pulsada) e os de luz coerente (os lasers propriamente ditos). Os primeiros são os mais comuns nos consultórios dermatológicos, apresentando vários comprimentos de onda e, portanto, permitindo realização de uma gama maior de tratamentos. Já os de luz coerente têm apenas um comprimento de onda e são usados para tratamentos específicos.

laser2

O fundamento por trás do funcionamento desses aparelhos é a fototermolise seletiva: ao se fazer modificações nas ponteiras por onde passa a luz e na potência do emissor se consegue atingir as diferentes camadas da pele. Sardas, cicatrizes superficiais e manchas de sol não muito profundas são as primeiras a serem atingidas pelo clarão do laser. Nesses casos, o dermatologista trabalha com uma intensidade mais baixa do aparelho a fim de atingir a melanina, que é o que dá pigmentação à pele e aos cabelos. Numa potência mediana, o alvo da luz é a oxiemoglobina, sendo a vez do laser acabar com os vasinhos (teleangectasias), que surgem quando as veias se dilatam demais. Ao usar um terceiro estágio do aparelho o dermatologista consegue eliminar os pêlos. A potência mais forte é usada para suavizar ou prevenir sinais de envelhecimento. Em ambos os casos, o laser serve como estimulação ao colágeno, proteína que dá a firmeza da pele.

Os resultados são visíveis após um número variável de sessões e variam de acordo com o tipo e estado da pele. O clareamento das sardas, por exemplo, algumas vezes, pode ser notado logo após a primeira sessão. Por outro lado, uma mulher que faz tratamento preventivo contra as rugas, só sentirá os impactos a longo prazo. Entretanto antes de pensar nos resultados, existe todo um preparo da pele, especialmente nos casos de clareamento ou rejuvenescimento: uma consulta prévia é imprescindível para descobrir se a pele do paciente está apta para o processo.

laser3

Os cuidados com o sol, não importa o tratamento, são obrigatórios! Ficar longe do sol um mês antes e outro depois das sessões é fundamental para o sucesso de qualquer um dos tratamentos a laser. Caso contrario, podem ocorrer manchas. Deve-se atentar ainda para os efeitos fotosensibilizantes de alguns medicamentos, como certos antiinflamatórios ou isotretinoina – a pele fica sensível demais à luz e ganha manchas. Para o combate às rugas, o intervalo entra uma sessão e outra é de aproximadamente 30 a 60 dias. Já nos casos de depilação, o tempo médio entre o procedimento é de 30 a 45 dias.

se ter muito critério na indicação do tratamento. A aplicação do laser não causa dor propriamente dita, e sim um incômodo, que varia de acordo do tipo de pele e do tratamento. Se a pele for muito sensível, por exemplo, o paciente pode apresentar menos resistência que uma pessoa de pele normal.

As últimas gerações de laser reúnem O Laser Fracionado (laser Erbium) e Luz Intensa em um único aparelho. Este avanço tecnológico permite um tratamento de fotorrejuvenescimento seguro, profundo e eficaz.  Também é indicado para o tratamento de manchas senis e solares, cicatrizes de acne, estrias brancas ou vermelhas e poros abertos. A paciente tem opção de realizar o tratamento mais suave e diminuir o tempo de repouso, podendo ir trabalhar, realizar as tarefas do dia a dia normalmente no outro dia após a aplicação. Porém, neste caso, terá que realizar mais sessões para obter um resultado satisfatório. Caso a paciente realize um tratamento mais intensivo, deve ficar em repouso por um tempo maior (2 a 3 dias).

laser4

Tratamentos abrasivos não podem ser realizados no mesmo momento, enquanto outros, como peelings superficiais por exemplo, podem. Após a aplicação do laser alguns cuidados devem ser tomados: no caso dos tratamentos com laser fracionado, usar apenas água termal, soro fisiológico ou água gelada. A partir do dia seguinte, ocorrerá uma descamação fina que desaparece de acordo com a intensidade do tratamento. No caso de tratamentos leves (são utilizados menor intensidade), desaparecem em 2 dias. Já em tratamentos intensos (são utilizados intensidades maiores), o desaparecimento ocorre em 5 dias. Tal descamação pode ser mascarada com o uso de bases ou protetores solares a partir do dia seguinte da aplicação. Nos casos do uso da luz pulsada, as lesões pigmentadas escurecem ainda mais após as sessões. A cada dia que passar ocorrerá o clareamento da mancha. Podem-se formar “casquinhas” que evoluem espontaneamente após alguns dias. No dia da aplicação, usar apenas água termal, soro fisiológico ou água gelada. Já no dia seguinte, utilizar protetor solar e, se a pele estiver com vermelhidão, poderá ser mascarada com base.

A duração MÉDIA, de cada sessão, é de 30 minutos.

Observação: quando falamos em manchas, estamos nos referindo a manchas causadas pelo sol, e não a melasma, que é uma outra desordem que cursa com hiperpigmentação da pele. Nesse caso, a luz pulsada é contra-indicada, como discutimos em outro post passado.

Raíssa Londero Chemello

Médica Dermatologista – CRM 27193 Mestre pela Universidade do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Santa Maria: (55) 3221-2838

6 amaram.

Você também poderá gostar

Nenhum Comentário

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.