by Paula Pfeifer Cabelo

Sobre cabelos brancos

23/01/2018

A maturidade faz a gente morder tanto a língua que já nem tenho mais a ponta da minha. Lembro direitinho de uma colega de faculdade que fazia a gente arrancar seus cabelos brancos, e dava verdadeiros chiliques se por acaso alguém visse um fio e não avisasse. Ela não queria pintar, o método era o arranque frenético. Lembro de uma amiga (oi, Ju) que também me mandava arrancar qualquer fiozinho branco que aparecesse, porque deuzulivre alguém ver. Lembro de todas as mulheres da minha família (mãe, vó, tias, tias-avó) correndo pro cabeleireiro pra pintar o cabelo porque cultivar cabelo branco, segundo elas, ela desleixo.

Cresci com essa idéia na cabeça: apareceu cabelo branco, pinta ou arranca.

Aí me casei com um cara que, aos 40 anos, já tinha saído do preto pro cinza. E até hoje digo pra ele que se tivéssemos nos conhecido quando ele tinha o cabelo preto, não ia rolar. Era outra pessoa! Me apaixonei pelo cinza, e quanto mais cinza fica, mais acho lindo.

Foi então que comecei a tentar entender porque achava tão lindo um homem de cabelo cinza e tão pavoroso uma mulher que fizesse o mesmo. Bem…não tinha explicação. Foi só uma ideia construída ao longo dos anos que não fazia sentido.

Já fiz muita M no cabelo, tanto que acabei perdendo pelo menos metade dos fios que sempre tive, e hoje preciso me contentar com um cabelo fininho, ralinho e sem volume. Se antes as escovistas fingiam que não me viam quando eu entrava no salão, hoje elas me disputam – mas nem vou mais porque o cabelo minguou tanto que fazer escova entrou pra categoria perda de tempo.

De 2016 pra cá, meus cabelos brancos começaram a aparecer. Tímidos no início, me pegaram desprevenida. Arrancar ou pintar, eis a questão. Acabou que tomei a decisão de assumi-los. Nunca pintei um mísero fio branco desde que eles começaram a surgir, e já estou quase sem nenhuma química nos fios, graças a Deus.

Sigo longe do cinza, mas a caminho dele. Detesto o meu cabelo avermelhado, e ele fica assim com qualquer tinta-tonalizante-oquefor. Loira, pelamordedels, com essa pele oliva e essa sobrancelha mais preta que coca-cola, sem condições. Há apenas dois anos sei qual é a cor natural dos meus fios, e adoro esse castanho que a genética me deu.

Semana passada cortei o cabelo e cheguei em casa pensando: “Que mecha bonita essa da frente!“. Mas peraí, mecha? Não faço luzes desde 2014, como assim mecha? Minha primeira mechinha de cabelo branco. Ao invés de surtar e me achar velha aos 36 anos, fiquei me admirando no espelho. Simplesmente amei. Meu nome é Paula e eu adoro ter cabelos brancos. 🙂

Adoro a liberdade de não ser escrava de salão e de tinta.

Adoro esse sentimento de me olhar no espelho e não só entender que o tempo passou, mas assumir isso. Sei que nem todo mundo gosta dos seus fios brancos ou se sente bem com eles, mas para mim, caíram como uma luva.

E quando vejo as fotos das grisalhas que acho lindíssimas, sejam elas da idade que forem, noto que o segredo do sucesso foi assumir desde o início. Mudar de ideia no meio do caminho dá uma trabalheira danada – esperar crescer enquanto fica com duas ou três cores de cabelo deve ser mesmo um saco.

 

g1g2

Pesquisando, descobri que muita gente aderiu à liberdade de sair do armário da grizalhice: de Kate Moss a Demi Moore. Sarah Harris, diretora da Vogue britânica, é minha musa grisalha. Se sociologicamente cabelos brancos estão ligados à decadência física e passagem do tempo, emocionalmente – pelo menos par mim – eles estão ligados a aceitação. Veja só, não é um julgamento: se você pinta seus cabelos de loiro, ruivo, preto ou azul e se acha linda assim, that’s the point. O meu ponto é que descobri que me gosto assim, com minha ainda modesta coleção de fios brancos.

Acho que pra mim nem tem ligação séria com a passagem do tempo (até porque amo Botox e não curto minhas rugas), mas com a descoberta do diferente em mim mesma, e com curtir essa descoberta. Cabelos brancos! Aos 25 anos, isso não me passava pela cabeça. Aos 30, achei que eles apareceriam quando chegasse aos 40 e olhe lá. Aos 36 e com algumas centenas deles habitando meu couro cabeludo, torço para que logo sejam mais numerosos.

E vocês? Assumem, pintam, arrancam ou eles ainda nem nasceram? 🙂

44 amaram.

Você também poderá gostar

8 Comentários

  • Responder Deborah Szczerbacki 23/01/2018 at 6:00 pm

    Oi, Paula! Eu tenho 47 e cabelos brancos desde os 26… pinto desde então. Só que agora eu estou cansada disso, doida para parar e não sei como. O cabelo meio a meio é medonho, sei que não aguentaria. Penso em fazer umas luzes platinadas e ir aumentando aos poucos. Mas, não conheço nenhum profissional que faça isso. Aceito sugestões!

  • Responder Viviane 23/01/2018 at 10:41 pm

    Pinto, amiga… eles são cada vez mais numerosos e apelo às mechas loiras! (por enquanto) 😘

  • Responder Claudia Melo 24/01/2018 at 9:26 am

    Os meus se multiplicaram loucamente nos últimos ano. A parte frente é praticamente toda branca. Sigo pintando por enquanto (porque já pintava antes da proliferação de brancos), mas assim que eles tomarem a cabeça toda por igual também penso em adotar o grisalho estiloso.
    Bjs

  • Responder Michelle 24/01/2018 at 9:42 am

    A mãe de uma amiga assumiu também, ficou linda e onde vamos todos a elogiam – e realmente, a cor e corte combinam com ela de forma sensacional, e ela parece até mais jovial. Daí a filha dela se inspirou e está no processo em se assumir – fez luzes em um tom próximo e está com 40% de branquinhos. Ambas perceberam que o fio é mais poroso e também requer cuidados especiais! Mas estão lindas, e inspirando muitas outras mulheres!

  • Responder simone andrea pinheiro santos 24/01/2018 at 9:51 am

    bom diaaaa !! amei ….. eu tive problemas em querer assumir os grisalhos pq começou cedo =/ mas nunca tive muita paciencia de pintar e retocar pq acredite qdo se tenta esconder eles brotam como erva daninha :p mas fiz por algum tempo ate que me surgiu uma bela alergia e tive que por bem ou mal (por bem creio eu pq me sinto livre ) tive que deixar de usar tinta, tonalizante e etc e agora aos 46 querendo ele todo grisalho o cabelito decidiu me deixar com cabelos mistos paciência né 😉

  • Responder Rubia 24/01/2018 at 12:23 pm

    Paula!!
    To com 27 e eles já estão dando as caras. Como saem só numa mecha tudo junto eu passo henna surya líquida chocolate e fica digno. Pena que não tem opção de marcas no mercado. Minha mãe nunca passou química só henna e os cabelos dela são super saudáveis. Pretendo seguir o exemplo. Tenho pavor de salão e passo em casa mesmo.
    Essas grisalhas são lindas e estilosas!!
    Adorando os posts sobre a gravidez.
    Beijão

  • Responder camila 18/02/2018 at 11:13 am

    Oi Paula! Vc continua fazendo botox durante a gravidez?

  • Responder Fabíola Peñas 19/02/2018 at 8:19 am

    Oi, Paula!
    Achei seu texto muito interessante e bem escrito. Sem contar que vem muito de encontro com o que penso à respeito dos meus fios. Semana passada, inclusive, comentava com minha cabeleireira que não vou pintar meus cabelos (nunca pintei). Tenho 38 anos e desde os 20 a poucos cultivo uma mecha branca maravilhosa além de que outros fios começaram a aparecer de uns tempos para cá. Estou adorando e buscando formas de hidratá-los, já pensando em quando eu estiver como essas mulheres lindas das fotos do teu texto.
    Enfim, acho um charme e quero muito entrar para o time das grisalhas.
    Parabéns pelo Blog!

  • Deixe seu comentário

    This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.