Myself

Sobre a fragilidade dos nossos pais

06/07/2015

IMG_9178

 

Fiquei um mês acompanhando minha mãe na UTI. Mal cheguei em Santa Maria depois de dois meses e, na mesma noite, estávamos dando entrada no Caridade de ambulância – não posso mais ouvir sirene de ambulância que me dá ânsia de vômito e frouxura nas pernas. No dia seguinte, a médica me disse que nos preparássemos para o pior. E desde então tem sido um dia após o outro. Podia vê-la 3x por dia por 30 minutos. Na última visita, encostei meu rosto no dela para dar um beijo e quase desmoronei ao vê-la tentando me dar beijinhos, sem força, e chorando muito. Todos os dias acordo com a cara desfigurada de tanto chorar antes de dormir, que é quando vêm as lembranças, as culpas, os arrependimentos e aquele sentimento doído de tudo o que poderia ter sido diferente. Quem me conhece sabe que minha mãe sempre foi unha e carne comigo, quase uma irmã siamesa. Acho que por isso o tamanho da minha dor é descomunal. Tento me manter forte e de pé por causa da minha vó e do meu irmão, mas nos últimos dias isso foi difícil. Eu desmoronei também. A sensação é de que os dias e horas estão passando à toa, em preto e branco, sem sentido e com uma porcaria de ponto de interrogação parado bem na minha frente.

 

IMG_9180

 

Voltei para o Rio na sexta-feira e a mãe continua internada, do mesmo jeito por enquanto. No ônibus para Porto Alegre me veio a primeira facada no coração: ela sempre, independente da hora que fosse, me mandava mensagens desejando boa viagem e dizendo que me amava mais que o mundo. Eu olhava pra tela do celular e não tinha nada. Horrível. Chegando aqui, mais vazio: nós passávamos o dia todo trocando mensagens no WhatsApp e conversávamos ao telefone no final do dia de segunda a domingo, era lei. Enquanto escrevo este post estou na Sonora e me abriu mais um buraco no peito depois que fiquei lembrando que a mãe também costumava me perguntar todos os dias como estavam as coisas por aqui, e eu sempre ansiosa e atucanada, e ela sempre me mandando sossegar que as coisas iam se ajeitar.

Inevitável pensar na fragilidade dos nossos pais. Não sei como essa experiência afetou e ainda vai afetar a minha mãe, em termos psicológicos e físicos. Mas me vi aos 33 anos alimentando-a como se fosse uma criança pequena, passando a mão nos seus cabelos com a alma cheia de dó e de medo. Passei um mês comemorando coisas que antes nem me passavam pela cabeça: a mãe conseguiu ficar um pouco sentada, a mãe conseguiu respirar melhor, o braço desinchou um pouco, ela está conseguindo mexer as pernas, conseguiu engolir os remédios. O cérebro dá um curto-circuito quando a gente se depara com o ANTES-DEPOIS daqueles que amamos mais que tudo. Antes, ela era minha fortaleza. Depois, quase um bebê recém nascido. E eu ainda não sei qual será o desfecho.

Acho que existem vazios que ninguém preenche – nem nós mesmos somos capazes da proeza de preencher a falta que uma mãe faz. Precisei passar por tudo isso para entender a dimensão da presença da minha mãe na minha vida, e agora que entendo, espero ter a chance de poder rir com ela desse filme de terror tão breve seja possível. Quando nos despedimos na quinta-feira lembro direitinho das palavras: “Vai lá minha filha, cuidar das tuas coisinhas. Eu te amo mais que o mundo. É só por tua causa que quero viver, porque te ver feliz me deixa muito feliz e me dá a felicidade que eu não tive. Vai sem culpa no coração” O corpo e o coração estão aqui, mas a cabeça e a alma ficaram lá com ela. Fico me perguntando se e quando vou conseguir juntar tudo outra vez…

180 amaram.

Você também poderá gostar

23 Comentários

  • Responder Alessandra Busato 06/07/2015 at 5:27 pm

    Amiga querida! Sei bem como tu te sentes pois já passei por isso e depois da alta da mãe em que graças à Deus ela retornou para mim, a fragilidade dela me é esfregada todos os dias em que estou com ela. Esta é a vida… a gente passa em um determinado momento a ser mãe das nossas mães. Tenho certeza de que tudo ficará bem e ainda estaremos todas juntas rindo de tudo isso. Te amo!! Beijos

  • Responder Rafaela 06/07/2015 at 5:31 pm

    Pois é… eu vejo os meus pais ainda jovens, bonitos, cheios de vitalidade e sempre penso que eu não tô pronta pra ver eles envelhecerem, adoecerem. Acho que a gente nunca está e nunca vai estar…
    Fica bem, Paula! Estou torcendo por ti e pela tua mãe, força!

  • Responder Tais Martins 06/07/2015 at 5:35 pm

    Paula! Todo o afeto do mundo nesse momento. Conheço bem as nuances de UTI e hospitais. Deus proverá o reequilíbrio das coisas. Um imenso abraço.

  • Responder Cris 06/07/2015 at 5:35 pm

    Não há palavras, Paula, que retirem um só suspiro de tudo que você relatou, não há mesmo… Mas ouso dizer a você que a força nasce de onde a gente menos espera. Ela é exatamente igual a essa imensa energia amorosa que você descreveu com tanta sensibilidade e com tanta assertividade. O amor que uma mãe sente é incondicional e a gente só o percebe o mais próximo do que ele é nessas horas em que sentimos a ameaça da dor, da doença… Só que é aí também que a gente percebe o outro lado de tudo isso: a dádiva de ter TIDO, a dádiva de ter DOADO, a dádiva de ter RECEBIDO o que tanta gente passa a vida perseguindo e nunca acha, você tem. Teve, tem e terá. A saúde é frágil, nossa vida é frágil… Essas imagens que rolam e rolam na internet com frases de efeito e que a maioria lê e descarta trazem em si muita sabedoria. Cada dia é motivo de gratidão, sim. Sua mãe acompanhou a sua grande conquista. Você ouve. Você escreve. Você modificou a vida de tantas pessoas que antes de você sequer tinham o brilho nos olhos com esperança de que o dia seguinte fosse melhor para elas. Ela viu tudo isso. Ela vê. Ela sabe que você se tornou uma dessas pessoas que faz diferença na vida dos outros e, me perdoem todos os outros filhos de todas as outras mães mas, que mãe não fecha os olhos pra dormir com sorriso nos lábios de saber que criou um filho que faz diferença na vida dos outros?
    Você faz…
    Portanto, a maior forma de mostrar a ela o seu amor é simplesmente SER você. Seguir seus princípios, seus valores, sua forma de ver e viver a vida no seu casamento, nas suas amizades, no seu trabalho. A maior forma de demonstrar amor a uma mãe e ser o que a gente pode ser de melhor porque isso é dizer a ela que ela é competente demais e que a missão principal que assumiu quando gerou uma vida, a sua vida, está sendo cumprida com louvor.
    Erga a cabeça, respire fundo e sempre que precisar, pare sim. Sente, chore, mas faça isso só pra descansar. Você tem muito a fazer e isso também a deixará orgulhosa demais. Vai que o mundo é pequeno pra vc.
    Beijos

    • Responder Paula Sweetest Person Blog 08/07/2015 at 3:42 pm

      cRIS,
      Obrigada pelo comentario mais lindo que alguem ja me deixou nessa vida!
      <3

  • Responder Anita Durand 06/07/2015 at 5:39 pm

    Paula! Tenha muita força e tua mãe vai sair dessa. Pensamento positivo!
    Infelizmente, são momentos como esse que nos fazem crescer e fortalecer. Vemos que a ordem dos fatores se alteram e temos que ser a fortaleza de quem um dia foi a nossa fortaleza.
    E realmente existem vazios que ninguém preenche!
    Fica bem, que vai dar tudo certo!
    Abraço forte, com muita energia positiva e na torcida que tua mamy melhore logo!
    Bj

  • Responder Angelita T. 06/07/2015 at 5:44 pm

    Paula, querida, só te digo que estarei rezando pela tua mãezinha, pois sei a dor de perder esse bem mais precioso. Tenho a tua idade e há 3 anos minha mãe faleceu sem ter me dado a possibilidade de cuidar dela (ela faleceu dormindo, mas graças a Deus nunca sentiu nenhuma dor). Eu me sinto abandonada e sozinha no mundo até hoje. Mas com certeza a tua ficará boa e forte! Fé e pensamento positivo sempre. Bjs pra vocês.

  • Responder Gabriela 06/07/2015 at 5:51 pm

    Paula, nesses momentos temos que agarrar a fé, em qualquer coisa que nos segure e nos torne mais fortes para estar ao lado de todas as outras pessoas que sofrem com isso!

    Sua mãe e forte e vocês vao sair dessa!!

    Beijos

  • Responder Kaira 06/07/2015 at 6:06 pm

    Querida, como não chorar junto com você lendo tuas palavras? O que te desejo do fundo do coração é que Deus abençõe a tua família, e restabeleça a saúde da tua mãe… Fiquem com Deus, beijão!!! ♥

  • Responder Norma Rios 06/07/2015 at 6:11 pm

    Paula, guerreira! Tudo vai passar, tua mãe é nova vai se recuperar! Não fica assim, vocês sempre foram parceiras e grandes amigas! Ela não vai se entregar, confia em Deus e nas palavras dela: O universo conspira a meu favor! Calma criança! Paz e Luz! bjo

  • Responder Lilian Lourenço 06/07/2015 at 7:21 pm

    Oi Paula, sempre acompanhei seu blog mas nunca comentei, fiquei emocionada com suas palavras. Tenha fé, querida, se Deus quiser essa tempestade vai passar. Vou orar por vcs. Bjos

  • Responder Celina Alves 06/07/2015 at 7:25 pm

    Que Deus cuide e abençoe sua mãezinha Paula, sei bem como vc está se sentindo pois já passei por isso. Estarão em minhas orações. Que sua mãe se recupere e esteja entre os seus muito em breve. Fé querida.
    BjoBjo;)
    Celina Alves
    Luxos e Luxos

  • Responder Ju Ozol 06/07/2015 at 8:15 pm

    Paula querida!

    Sinta-se abraçada com todo o meu carinho nesse momento difícil!
    Estou na torcida e em oração pra que ela se recupere.

    beijos
    Ju

  • Responder Fabiana 06/07/2015 at 8:20 pm

    Puxa Paula que chato hein!
    Mas tenha em mente que Deus sabe de todas as coisas,nada acontece por acaso.
    Desejo melhoras para a sua mãe.
    Força

  • Responder Adriana Ramires Machado 06/07/2015 at 8:32 pm

    Paula essa dor que esta sentindo não conseguimos expressar em palavras, nem medir em porções já passei por isso e dentro do possível desejo a você muita luz e serenidade para enfrentares essa tão dolorida missão.
    Esta nas minhas orações tudo de bom para sua família.
    bjs
    Adriana

    di.Ramires

  • Responder Thalita Leite 07/07/2015 at 6:47 pm

    Eu sei o que você está sentindo. Nesse momento choro porque a dor é muito grande. Perdi minha avó em 2011. Não passa. Fica diferente. Quando fui visitá-la tentei pentear seu cabelo,mas ela sentiu dor de cabeça. Quando me despedi ela me pediu pra não demorar. Não demora a ficar perto dela. Quando ela morreu eu estava longe. Não deu tempo de chegar. Ainda vejo o rosto dela e escuto sua voz. Eu a amo tanto! Que sua mãe melhore logo. Esse amor é lindo! Que você sinta que fez tudo, esteja lá.Deus abençoe vocês. Amém!

  • Responder Myrian Paiva 07/07/2015 at 8:07 pm

    Querida colega! Sei bem como te sentes. Cuidei de meu pai desde que aos 75 anos ele teve um problema sério que o levou a 7 cirurgias no tórax, que ficou aberto, drenando, por quase 1 ano…Cada entrada dele no hospital, para cirurgia, eu ia junto e baixava com ele, ficava quase todo dia e as noites, cuidando, animando e dando bronca. Minha mãe tb é idosa e não aguentaria. Este ano, aos 88 anos, ele partiu, em março. O vazio é incrível, eu tinha uma ligação forte com ele, mas a sensação é de que fiz tudo que podia, curti o máximo possível e cuidei o quanto precisou. O amor só cresce nestes momentos. E a gente aprende muito, a ser cada vez menos egoísta, mais amorosa e disponível pros nossos amores. Te cuida, ela precisa de ti feliz e forte, e nos momentos mais difíceis ora. Ajuda muito! Estou na torcida pra que ela fique logo bem, abraço!

  • Responder Cybele Costa Moreira 07/07/2015 at 8:16 pm

    Paula, estou aqui emocionada e desejosa de poder dar um abraço em vc. Desde que conheci o sweetest entro todo santo dia e desde que soube de sua mãe estou apreensiva.
    Mas tenha fé tudo irá se ajeitar, com a graça de Deus!
    Que sua mãezinha fique bem e vcs possam rir desses dias tenebrosos.
    Um abraço virtual mas carinhoso em vc.
    Beijo cheio de esperanças de melhoras!
    Cybele

  • Responder Thais 08/07/2015 at 11:17 am

    Olá Paula! É a primeira vez que entro em seu blog e fiquei muito emocionada com o post principal. Acredito que debaixo do céu a tempo para todas as coisas nesse mundo e que as coisas não acontecem por acaso. Por isso creio em um Deus que sabe todas as coisas e que se pedirmos a Ele, atentamente Ele ouvirá e cumprirá os desejos do nosso coração. Mas para isso devemos ter fé! Fé que as lutas passarão e as vitórias virão consequentemente! Tenho certeza que Deus nos proporciona momentos felizes e tristes para entendermos o caminho da vida!

  • Responder Nina 09/07/2015 at 3:07 pm

    Paula, só posso te desejar muita força pois não imagino minha vida sem minha mãe que amo tanto. Sei o que essa dor pois já perdi minha avó que era minha segunda mãe e meu irmão de forma súbita. Mas enquanto há vida, há esperança, tenha fé pois ela pode melhorar e como você falou vocês ainda rirem disso tudo. Você é forte e Deus sabe de todas as coisas. Fica bem. Beijos

  • Responder Janise 09/07/2015 at 9:01 pm

    Paulinha querida, difícil seria não se emocionar com tuas palavras sempre tão guerreiras e tb com as palavras de Cris. Quanta sensibilidade, quanto amor… Esteja forte, firme e feliz, porque a tua companheira de sempre estará com vc em breve! Paz!!! Um carinhoso abraço.

  • Responder Leila 13/07/2015 at 9:49 am

    Paula, não sei se você tem alguma fé, mas o conselho que eu te daria é: reze e pense. Ponha tudo para fora, não guarde nada.
    Esse ano, há menos de um mês, também acompanhei meu pai na UTI (e como era doloroso passar diante do hospital e saber que eu não podia entrar sem ser na hora da visita), mas infelizmente o perdi.
    Acho que essa dor só consegue compreender quem já passou por ela, é um buraco no peito que não tem descrição.

    Creia em Deus, porque para Deus nada é impossível. Se sua mãe quer viver, acredite no poder divino. Peça, acredite e aceite.
    beijos

  • Responder Julia 16/07/2015 at 6:02 pm

    Oi Paula!
    Emociona ler suas palavras. Que ela melhore logo, que possam trocar muitas e muitas mensagens, beijos e abraços.
    Beijo.

  • Deixe seu comentário