Navegue por Categorias

Pequenos Escritos

Pequenos Escritos

Pequenos Escritos XXXIX

17/09/2013

Gosto de quem sabe onde se meteu. Sem perguntas óbvias, desvenda as minhas sombras e entornos. Entre tantas opções, me escolhe. Gosto de quem quer mesmo ficar com quem demorou a encontrar – não tem mais volta, não tem mais fuga. Entre tantos desencontros, um choque de fascínio. Que fica, que pulsa. E instiga. Gosto de quem quer ser tudo, e não mero resto ou fugaz relâmpago. Gosto dos doces de espírito, capazes de contagiar sem esforço. São pura leveza, destemor infantil. Dos…

Leia mais

Pequenos Escritos

Pequenos Escritos XXXVIII

19/04/2013

  Bem me quer ou mal me quer: importa que queira. Das insinuações ficam os sorrisinhos indecentes; dos disparates, o arrepio safado da adrenalina. É essa boca maldita, o riso cretino, o pescoço severo, o charme contido. Diz e não diz, vem e vai. Some e volta. Fica olhando de fora, pensando se toca ou não toca. Pega à força. Sem pausa pra respirar. É o jeito. Vem? 22 amaram. Amei! Desfazer…

Leia mais

Pequenos Escritos

Pequenos Escritos XXXVII

02/04/2013

  O que chega de repente, despudoradamente sorrateiro. De mansinho ou a galope, me interessa. O que não pede licença, invade de impulso. Com boas ou más intenções, me desperta. O que acha que manda, cheio de ordens. Quase obedeço – e me instiga. O que não tem pudores, escancaradamente prazer. Desnuda com os olhos, veste com a boca – e me enlouquece. O que traz desassossego, puro atordôo. Seduz meu espírito, me entrego.  O que me cala a boca, altamente impassível.…

Leia mais

Pequenos Escritos

Pequenos Escritos XXXVI

14/03/2013

  Quero teu desatino. Teus urros contidos, tuas palavras não ditas. Quero teus dissabores. Tuas feridas abertas, tuas mágoas passadas. Quero teu avesso. Tuas loucuras presas, teus medos indizíveis. Quero tuas marcas. Tuas piscadelas safadas, tuas sobrancelhas em arco. Quero teus enganos. Teus movimentos errados, tuas estradas de equívoco. Quero teu esplendor. Tuas vitórias inocentes, tuas batalhas sofridas. Quero tuas tolices. Tuas memórias de infância, teus recuerdos queridos.  Quero teus disparates. Teus atrevimentos gostosos, tuas gracinhas delícia. Quero tuas mãos. Em mim. De todos os…

Leia mais

Pequenos Escritos

Pequenos Escritos XXXV

03/12/2012

  Despedida provisória ou adeus iminente? Não alcanço teu coração, não aparto tuas dores. Me resguardo nas reticências, melhor assim. Das contradições, ficaram sorrisos. Das palavras duras, as doces. Dos erros, apenas as madrugadas entrelaçados. Estremece mas permanece, sabe como? Faz bagunça por dentro – e ando sem vontade de catalogar sentimentos e arquivar memórias. Às vezes a imensidão da saudade pesa. E traz junto aquela falta doída da pele.  As individualidades abissais não mais me interessam – quero alguém com espaço por dentro.…

Leia mais