Navegue por Categorias

Myself

Amor Myself

Gratidão

17/10/2016

Li por aí que gratidão é uma carta de amor que você envia para o Universo. Faz sentido. Esses dias sentei no terraço de casa e fiquei olhando as estrelas. Me peguei pensando na minha mãe, se ela está bem onde quer que esteja, essas coisas. Pedi: “Mãe, me dá um sinal!”. Cataploft, uma estrela cadente bem na minha cara, o que me fez cair aos prantos no ato – a última vez em que vi uma foi há quatro…

Leia mais

Myself Sweetest Things

O que a doença me ensinou

05/07/2016

A doença me ensinou muitas coisas desde que ela entrou na minha vida de um jeito avassalador e mal educado – como se coisa ruim pedisse licença. Às vezes a doença vira cura. Às vezes, vira morte. Perdi minha mãe e minha sogra num intervalo de três meses e meio, o que me fez conhecer dois sentimentos distintos: raiva da vida e profunda alegria por estar viva. Ontem, enquanto caminhava para sair do cemitério após o enterro, passando por aquela infinidade…

Leia mais

Myself

Carta para minha mãe, 1

18/05/2016

Hoje é dia 18. O dia do mês que não quero que chegue, porque marca mais uma parcela de tempo sem ela. Hoje acordei, abri a janela e, enquanto via a chuva cair lá fora, chorei por duas horas pra ver se ajudava um pouco. A parte mais estranha é ficar tentando lembrar das coisas que tenho medo de esquecer. Coisas banais como o formato do dedo do pé, o toque da mão, o contorno dos dentes, a textura do…

Leia mais

Myself

Bem pra alma 1

02/05/2016

Há tempos que queria juntar num post várias coisas do tipo música-filmes-livros-espiritualidade. Nos últimos tempos tenho feito um senhor esforço para me fortalecer e algumas coisas têm me ajudado, talvez elas também consigam ajudar vocês. Eu acredito que os livros nos encontram, e os últimos dois que me escolheram na Livraria da Travessa foram esses dois. Confesso que nunca li nenhum livro do Stephen King, esse é o primeiro. Comprei justamente pelo fato de ser uma biografia, na qual ele…

Leia mais

Myself

O primeiro mês

17/04/2016

Um mês sem mãe. Mas parece que foi há um ano. O dia mais difícil foi quando fui dar entrada numa papelada de visto e o atendente me disse: “Você não colocou nada sobre sua mãe nem sobre o seu pai“. Me vi tendo que responder: “Minha mãe morreu e não sei endereço nem telefone do meu pai“. Foi aí que minha ficha caiu. Irremediavelmente sozinha, sem genitores nem descendentes. Quando me dei por conta de tudo isso deu vontade de…

Leia mais