by Paula Pfeifer

10 coisas que ninguém aguenta mais no Instagram

18/01/2018

Em 2016 escrevi um post chamado 6 Coisas Que Ninguém Aguenta Mais em Blogs de Moda. Em 2018, chegou a hora de escrever sobre o que ninguém aguenta mais no Instagram, a rede social favorita e absoluta de qualquer um que trabalhe como blogueiro ou se autodenomine influencer ou personalidade digital (cadê o emoji de tédio quando a gente mais precisa dele?). Se no passado aquela overdose de pratos de comida nos dava sono, atualmente as coisas mudaram – infelizmente, pra pior. Vem comigo que as chances de você também estar de saco cheio dessas 10 coisas é beeem grande.

Pose na ponta dos pés

Bizarrice que só se vê em IG’s femininos, os homens não se prestam a esse papelão. Não sei o que vocês sentem quando vêem blogueiras/influencers/whatever postando fotos, seja onde for e na situação que for, na ponta dos pés. Que diabo é isso? Algumas ficam viciadas e toda e qualquer foto que apareça os pés será assim – a não ser que a fofa esteja de salto. Complexo de inferioridade por ser baixinha, recalque por não ter seguido a profissão de bailarina? Alguém me explique, por favor.

Publicidade não sinalizada

Você tem todo o direito de viver de digital e eu admiro horrores quem consegue tal façanha. Mas sendo assim, você tem o dever de sinalizar quando uma foto é publicidade. Não me venha com hashtags suaves para disfarçar, publi é publi – e a sinalização correta é #ad #publicidade #publi #postpago. Qualquer outra # que não essas significam que você NÃO é uma profissional séria e não respeita as pessoas que lhe dão a honra de ser sua audiência. Não tem nada demais nisso, você emite nota fiscal, paga seus impostos e faz o que quiser no seu IG, mas publicidade não sinalizada é o tipo de baixaria que já deu. O bem mais precioso de blogueiras/influencers/whatever é a credibilidade. Depois que perde, quase impossível ter de volta. PS: cadê o CONAR com um botão de denúncia virtual em 1 minuto?

Contorcionismo

Instagram é terra de musas fitness, né mores? (contém ironia). Musa fitness de raiz tem o corpo duro como pedra e não precisa ficar se desdobrando em poses estratégicas pra sair bem na foto. Agora, quando blogueiras/influencers/whatever entram na fase do contorcionismo, nem exorcista resolve. É um tal de perna torcida, braço esticado, queixo alinhado com o ombro, bochechas chupadas, barriga pra dentro e bunda empinada pra trás que Deus nos acuda. Meu dedo treme e vai direto dar unfollow.

Tá pago

Olha, ‘tá pago’ pra mim só pode se referir às contas mensais de cada um, viu? O que é que a gente tem a ver com as suas jacadas e com quantas calorias a mais você ingeriu num final de semana, gata? Postar selfie no espelho da academia toda suada com cara de cansada e a legenda ‘tá pago’ me faz pensar que você tá mandando indireta pros seus credores. Eu, hein!

Já que vocês pediram

Até o padre Fábio de Melo já disse esses dias: “Para que tá feio, a gente sabe que ninguém pediu!“. Sério. A gente sabe. A não ser que você seja uma beauty blogger com centenas de milhares de seguidores que comprou o último lançamento de make na gringa e prometeu resenha pra galera, a chance de que mais de duas pessoas tenham lhe implorado uma dica inbox é praticamente nula. Poupe-se, poupe-nos.

Marcas e suas ações bizarras

Cara, não dá mais pra culpar o estagiário – que aliás deve ter sido a única pessoa na agência que teve coragem de avisar a geral que ia dar merda. Nos últimos dias, uma ação de sérum capilar que ardeu os olhos de todo mundo: vááárias blogueiras/influencers/whatever famosas declarando seu amor a um produtinho que está mais do que na cara (e no cabelo!) que elas NÃO usam. Até aí, tudo bem, nenhuma novidade, mas a sinalização #ad só veio depois de vários toques de amiga, embora algumas sequer tenham se dado ao trabalho de editar a foto e adicionar o #ad ou #parceriapaga. Como uma marca renomada passa uma vergonha digital dessas? Não sei o que é pior: contratar blogueiras/influencers/whatever que fingem mal que gostam do seu produto ou permitir que postem em sequência (alô, 2012!) sem sinalizar a publicidade, queimando o filme da marca eternamente. E a marca de eletrodomésticos que escalou um time de blogueiras/influencers/whatever para divulgar seu lançamento de máquina de lavar premium, jent? As fotos são muito engraçadas, com as escaladas mezzo perdidas mezzo constrangidas mezzo sem ideias colocando os cachorros e os filhos pra dar um up na publicação. No comments. A hashtag certa seria #vocenaomeinfluencia #beijo

Photoshop

Eu quase photoshopo minhas bochechas roxas de vergonha alheia quando vejo aquelas selfies que mais parecem boneca de cera japonesa retocada, ou aquelas pernas que brilham tanto, mas tanto, que fico até em pânico de ter arranjado um problema de vista. Mas a geral já aprendeu a usar melhor o Photoshop sem deixar grandes vestígios além do brilho master – quem é da época em que os retoques faziam com que os objetos que estavam atrás ficassem torcidos, levanta a mão. o/

Lifestyle: rycah

As pessoas realmente ricas e bem nascidas têm contas fechadas e não ficam expondo a vida obssessivamente, além de terem alergia a demonstrações explícitas de afetação. Mas algumas blogueiras/influencers/whatever insistem no combo ‘fotinho para parecer rycah’: na escada do jatinho (parceria), na classe executiva (as ricas reais devem olhar e pensar eikepobreza), no hotel hypado, dando close na marca cara de espumante, na porta do carro milionário que as conduziu a algum evento (parceria), etc. Deboas? Nada pode ser mais cafona. Depois de tentar parecer magra e descolada sem ser, só tentar parecer rica sem ser consegue superar isso. Apenas pare!

Stories nonsense

O stories meio que acalma as almas penadas carentes da internet, hein? É o tipo de ferramenta que, quando a pessoa não tem nada a dizer, não deveria ser usada. Mas não é assim que funciona, e muitas blogueiras/influencers/whatever usam o stories de um modo compulsivo e assustador, narrando seus dias como se a população mundial estivesse interessadíssima neles. Se você não é espontânea, engraçada e está sem assunto, evite. Ah, também não é legal falar como se a pessoa do outro lado da tela tivesse 5 anos de idade, a não ser que você trabalhe com criação de conteúdo…infantil.

O Instagram no início era uma rede que servia pra gente se inspirar. Pessoalmente, passei a seguir meia dúzia de pessoas que têm CONTEÚDO, que sabem fazer um equilíbrio bacana entre foto publicitária e foto vida real, e também passei a seguir as hashtags que me interessam. Muita gente passa mal e se afeta negativamente com esse mundo fake e imaginário criado por blogueiras/influencers/whatever. É um tiro certeiro no próprio pé, porque não existe rede melhor para a pessoa mostrar a sua VERDADEIRA personalidade e ser íntegra com a sua audiência. Te falo em desvirtuação, hein? Cansei. Gastava um par de horas do meu dia no IG, hoje não aguento mais do que quinze minutos…

PS: Mãe Dinah mandou avisar que para quem compra seguidores, likes e comments 2018 não será um bom ano. Leia aqui o Instagram Trends 2018. 🙂

107 amaram.

Você também poderá gostar

2 Comentários

  • Responder Clau Melo 18/01/2018 at 8:37 pm

    Arrasou mais uma vez!!! 👏🏻👏🏻👏🏻

  • Responder Luciano Guimarães de Sousa Moreira 24/01/2018 at 1:19 pm

    Eu cortei do meu feed um monte de perfis de viagem de gente que diz que vive como a gente, trabalha para viajar e que supostamente paga todas as viagens. Obviamente não estou falando de pessoas e blogueiros que trabalham com isso – esses eu nem sigo, pois só vou me sentir frustrado. Mas gosto de seguir gente que nem eu: que trabalha das 9h-18h, que não consegue folgar todo feriado e que faz malabarismos financeiros e com datas para conseguir viajar sempre. Daí algumas dessas pessoas ficam pop, começam a ganhar parcerias e, acho, até largaram o emprego para viver a vida de blogueiro de viagens em tempo integral – o que admiro, mérito da pessoa. Mas daí ficar falando que #trabalhapraviajar e que faz malabarismos com férias, folgas e consegue fazer viagens gigantescas de 15 dias a cada dois meses é demais para o meu <3. Onde uma pessoa tem tantos dias livres de férias a não ser que seja herdeira? O que a pessoa ganha sabendo que tá deixando todo mundo frustrado? Cortei!

  • Deixe seu comentário