Myself

Essa nada fácil vida fitness

28/10/2015

Isolated tired young pretty woman siting on spinning bicycle

Moro no Rio há quase um ano e, desde que vim pra cá, meu marido entrou de cabeça na missão de me transformar de pessoa junk em pessoa fitness. A verdade é que fitness no sentido real da palavra acho que nunca vou ser, mas pelo menos acabei me transformando numa pessoa mais saudável. Quando você convive com alguém que cita incansavelmente todos os malefícios de todas as porcarias que você ama amava comer chega um dia que essa informação perfura seu cérebro e você capta a mensagem. Hoje, olho pra refrigerante e penso em duas palavras: câncer e celulite. Antes, olhava e pensava: vem com a mamãe!

Essa adaptação não é fácil. Financeiramente falando, eu fico escandalizada: um quilo de cenoura ‘normal’ (aka cheia de agrotóxicos e tals) custa R$1,99 (quando tá em promoção, claro) enquanto um ramo de cenoura orgânica na feirinha do final de semana sai por R$9!! Falou orgânico, mete uns 400% pra cima o preço. Eu sei que vale o investimento, mas gente, como demora pra assimilar e aceitar o custo dessa vida orgânica.

Não sei vocês dãããã mas eu amo comer! O que significa que restringir as coisas não é comigo. Logo que o Lu me iniciou nesse mundo, entrei numas de ‘é saudável, então pode‘. Foi assim que me viciei no suco Rosa Shock do HortiFruti que fica em frente à Sonora. Delicioso, rosa, lindo, apetitoso, refrescante. Só não me disseram que o troço tinha umas 300 calorias por cada 200ml – e a bocó tomando 1 litro de suco por dia como se fosse água, hahaha. Castanha também foi um problema. Se é saudável pode umas 30 cada vez que dá vontade? Ainda bem que vi o vídeo dos ratos sambando dentro dos cointêiners das lojas que vendem frutas secas a granel aqui no Rio. Só assim pra olhar pra um punhado de castanhas e nozes e dar um passo pra trás.

Parei de fumar há meses. Sim, eu fumava uns 2 cigarros por dia saudades Carlton Red e em dias ruins esse número subia beeeem. Não sinto mais falta e nem lembro da coisa, mas claro que se o fiscal da boa forma acenar com a possibilidade de fumar um único cigarrinho, vou me atirar. O problema é todo falta de vergonha na cara, muito simples. Pensando bem, não creio que teria coragem de trocar meu fôlego reconquistado a pau e a corda por falta de ar a qualquer sinal de escada de novo. Muito mico.

Academia? Bueno, foram meses até o Luciano decidir literalmente me arrastar pra dentro de uma. Enrolei o que pude, pedi pra visitar trocentas, meti defeito em todas e rezei pra ele esquecer o assunto. Só que não deu certo. Acabei na Bodytech e ontem, pela primeira vez desde que entramos, fui EU que quis ir malhar. Até então, todo dia era a mesma ladainha: eu fugia da malhação como criança foge do banho. Ia, mas passava uma hora caminhando a 6km vendo seriados na esteira. Até que um dia um treinador me perguntou: “O que você faz aqui?” e respondi “Dou apoio espiritual pra ele e caminho um pouco”. A cara que o homem me fez foi um troço marcante – e também um momento decisivo no qual percebi que ou encarava o dragão ou cancelava a matrícula. Segui em frente, mas no momento encaro 3kg a mais, todos concentrados na barriga and pneus e fruto da minha linda alimentação saudável super calórica. Mas tudo bem. Quer dizer, tudo bem até dar a subidinha diária na balança do banheiro da academia. Tem um espelho na frente. Eu subo, me olho no espelho e fico remoendo tudo o que faço de errado. ‘Foi o pão. Foi a garrafa de vinho. Foi o docinho do Guerin. Foi a bolacha que comi escondido.’ Mas o mais hilário é que depois de subir vou pra sauna, aguento até quase cair dura enfartada e quando saio de lá me peso de novo só pra ver se perdi umas 100gr. Esperança de gente acima do peso é a última que morre. Me lembra um episódio da Oprah em que ela tirava até os brincos na hora de pesar. Quem nunca…

Aliás demorei a me acostumar com banheiro de academia. É peito e bunda à mostra demais num recinto só. Acabei descobrindo que T-O-D-A-S as mulheres dão um suspiro de alívio e agradecimento quando entra uma gostosona lá dentro e se pela e a galera vê que ela também é minada de celulite e que a bunda só aponta pro céu na legging ryca com tecido tecnológico. Maldade verdadeira.

E esse trem de seguir blogueiras fitness no Instagram? Vou dizer, me faz mal. Senta lá que eu acreditei que você foi malhar no parque às 5 da madrugada, minha filha. Ou que caí no conto do vigário de que você só come saladinha com frango e batata doce urgh. Pior que isso só essas malucas que recém pariram e já estão ‘correndo atrás do prejuízo’ postando selfies da barriga-que-deveria-estar-chapada ou dos treinos. Ah, eu odeio a palavra treino. Acho meio ridícula. ‘Ai, meu treino. Mudei meu treino. Treino de perna, blablabla’. Que chatice. E também acho que whey tem cheiro de sovaco e não tem quem me faça tomar.

Falando em barriga, voltei a adotar uma velha tática de guerra: usar body modelador. Ressuscitei os meus dos fundos da gaveta de lingerie. Além de melhorar a postura e enfiar a barriga pra dentro, me faz comer menos. Comigo funciona. Tentando marcar uma nutricionista, mas ô tarefinha complicada. Ou não tem hora, ou custa uma fortuna, ou a secretária nunca atende o telefone. Aceito indicações.

Sobre álcool, precisamos mesmo falar sobre isso? Rsrsrsrs. Se pudesse tomava umas duas Teresópolis toda noite. Ou uma garrafinha honesta de vinho tinto. Mas os pneus falam mais alto e me fazem empurrar a taça no momento certo, na maioria das vezes. Não é fácil. Essa nada fácil vida fitness é uma luta diária, a não ser que você tenha nascido numa família super saudável que desde sempre se alimentou corretamente e dentro dos conformes. Já eu, cresci comendo Bono de doce de leite e tomando Coca Cola como se não houvesse amanhã.

Ando pensando muito a respeito dos hormônios, de tanto que leio posts assustadores de médicos aconselhando a largar pra sempre os hormônios sintéticos – e de quebra a celulite, a flacidez, a dificuldade de ganhar massa muscular, a chance de desenvolver câncer e de ter trombose. Quem já fez isso e o que achou?

Como boa pessoa normal, me sinto vitoriosa com coisas minúsculas. Tipo resistir a um doce, perder 500gr ou ver um projeto de músculo nascendo. Fico feliz de ter largado refrigerante, industrializados da pesada (hello lasanha congelada, nuggets, hamburguer da Sadia, bolachinha recheada), cigarro e todas as porcarias que consumia sem dor na consciência. E virei uma pentelha com as pessoas próximas, inclusive. Quando vou a Santa Maria minha vó quase me quebra o nariz depois dos meus discursos fervorosos anti-açúcar. Quem me viu, quem me vê.

66 amaram.

Você também poderá gostar

10 Comentários

  • Responder Maria de Menicucci 28/10/2015 at 6:15 pm

    Eu não consigo me adaptar em academias de jeito nenhum, acho as atividades super monótonas afinal fui bailarina e vivia achando os exercícios inferiores ao ballet. Gosto de super alongamentos, trabalho forte de consciência corporal e sacudir o esqueleto como se fosse dança. Nunca consegui me acostumar com o desfile de pessoas bombadas e que fazem culto ao corpo, não me sentia bem no ambiente. Os personals das academias comuns nunca conseguiram “entender” o meu corpo super elástico e suas dores, tinha algumas limitações provocada pela dor em articulações frouxas, fora o problema de coluna. Pelo menos achei a minha atividade alternativa que amo de paixão, o gyrotonic que é uma mistura de tai chi chuan, ballet, yoga e natação! E todas as dores acabaram porque a professora é formada em fisioterapia. Vou às aulas toda feliz da vida. Continuo com a mimha barriguinha como toda mulher normal tem, mas molenga não fico!

    Quanto à questão de comida, recomendo a leitura do livro de uma nutricionista franco-brasileira Sophie Deram sobre o terrorismo nutricional. É muito interessante! Eu posso não estar magrinha porque gosto de comer, mas me orgulho dos exames de sangue que saem maravilhosos porque em casa só entra comida minimamente processada e eu amo cozinhar. Preparo os pratos congelados caseiros. Você devia procurar um curso de culinária, é uma delícia! Antes não comia salada nem bife de frango e depois descobri que pode ser muuuuito gostoso se for bem feito! Aprendi a comer muita coisa em aulas de culinária!

  • Responder Marianna 28/10/2015 at 7:40 pm

    Paula!! Faz muito tempo que não comento por aqui (mas sempre entro e acompanho pelo Face!!) mas desta vez me identifiquei demais!!!! To tentando há um tempão ir pra academia (alimentação saudável nunca foi problema pra mim! Não gosto de refrigerante nem de biscoito e quando era criança, quando minha mãe perguntava o que eu queria que ela trouxesse do supermercado eu falava: brócolis e espinafre hahahahah! Juro!) mas atividade física sempre foi um problema!!! Me sentia tipo um hamster de laboratório caminhando na esteira e não tinha seriado me fizesse mudar de ideia! Mas dai tem dois meses que descobri um “treino” (tb tenho birra dessa palavra) que eu gosto! É uma mistura de Crossfit e funcional que eu tenho gostado bastante! Pra mim o melhor horário é de manhã bem cedo (pq eu sempre fico com inveja de quem esta saindo da academia, então, seguindo minha lógica, quem chega primeiro, sai primeiro e dai não fico com inveja de ngm hahahahhaah) e antes das 7 da manhã já to lá suando!
    Sobre o whey, dei sorte! Eu comprei um que tinha cara de gostoso (sim, escolhi assim) e sem sucralose, aspartame (isso Eh algo q sou bem neurótica mesmo!!! O açúcar pelo menos a gente sabe qual o efeito negativo dele, esses adoçantes não né? E pelo menos o sabor do açúcar é melhor!) mas adoçado com estévia. O Whey que tomo é bem gostoso! Da Essential e bato com banana (pouca tá? Hahaha) congelada e cacau. Fica otimo! Juro!
    Meu comentário já tá gigante, então, pra finalizar, tirar esses hormônios artificiais fez uma diferença gigante pra mim (isso já foi antes de começar a ir pra academia). Minha mãe já teve um avc e eu tenho uma super tendência genética a ter varizes (aliás, já apareceram algumas e ainda não tenho 30 anos!) e resolvi colocar um DIU de cobre. Melhor decisão! De cara, já foram uns 2 kilos embora e a celulite e o inchaço melhoram muito! Doeu para colocar, mas a dor intensa durou tipo uns 2 segundos só! Sobre as cólicas, não posso falar muita coisa não! Eu não sinto nada! Mas já praticamente não tinha antes de colocar (só tive quando era adolescente e, observando meu corpo, descobri os tipos de alimentos que me causavam esse desconforto e as cólicas melhorar muito!). Claro que vc tem que ver esse tipo de coisa com o seu médico, mas a minha sempre foi super favorável! Me sinto beeeem melhor sem hormônios artificiais!
    Beijos!

  • Responder Sabrina 29/10/2015 at 10:06 am

    Perfeito! Tô nessa vibe tb, e vou te dizer que meu maior problema é abdicar das bebidinhas para “apenas o momento certo” afsssssssss
    bjs

  • Responder Renata 29/10/2015 at 4:00 pm

    Afff mulher…Super me identifiquei.
    Não estou goooorda..mas perder uns dois quilos é sempre bom…E só Deus sabe os malabarismos que faço pra manter a calça 38. Compensação é levada ao pé da letra. Por mim, tb tomava cerveja tds os dias…deixo para os finais de semana. Compenso passando fome a semana inteira!!!!
    Academia..definitivamente nao e comigo. Há uns 5 anos me encontrei no Pilates, mas nao emagrece. Entretanto é so isso que consigo fazer.
    Quanto aos hormônios…nunca engordei por causa de pilula e tomo há mais de 20 anos. Meu médico agora sugeriu um implante de hormônio. Vamos ver….
    Abs

  • Responder Luisa Capurro 30/10/2015 at 7:14 am

    Paula, super me identifico!
    Sobre os hormonios um registro do aconteceu comigo…pilua anticoncepcional por 16 anos, e sim eu nao tive filhos….poreeeem minha testosterona está zerada (0.2 pra mim é zero!!!!) e portanto zero musculo.

    Coloquei o DIU tem um mês….vms ver no que vai dar, mas por tudo que já li…estrogenio nunca mais.

    Parabens pelo Blog!

    Um beijo!

  • Responder Carol 03/11/2015 at 9:52 am

    Que post incrível!!!! Amei 🙂 lembrei de uns postos antiiiiiiigos teus, que tu fazia musculação em casa, lembra? Sempre achei que tu era fitness…hahaahha! Eu estou fitness há dois meses e tô amando tudo…tô chata só falando disso e de alimentação e blablabá…Não desiste que uma hora a coisa vira rotina!
    Beijão…faça mais posts sobre tua “evolução” nesse quesito..hahahah

  • Responder Renata 05/11/2015 at 4:33 pm

    Oi Paula!

    Também sou de Santa Maria e tô morando no Rio. Tô indo numa nutricionista muito boa já faz uns meses, o nome dela é Bianca Marques (2567-4511). Ela prioriza uma dieta só com alimentos, evitando ao máximo whey e suplementos (também odeio whey!), tá dando super certo pra mim! Ela atende na Tijuca, bem pertinho da estação da Saens Peña. Bjss

  • Responder Tatiana 05/11/2015 at 9:28 pm

    Oi Paula! Adorei esse post e concordo com você: odeio a palavra treino e também du-vi-do que alguém consiga ir “treinar” as 5hs da manhã!
    Morei 7 anos no Rio, sou de Minas e há 8 anos voltei pra casa… No Rio todo mundo corre, treina, etc e tal. Confesso que me canso só de olhar! : )
    O máximo que eu consigo é fazer pilates 1x por semana.
    Te acompanho faz tempos, seu blog é um dos meus favoritos!
    Beijos

  • Responder Carolina 17/11/2015 at 1:06 pm

    Oi, Paula!

    Acompanho há um tempo seu blog e adoro os textos mais reflexivos 🙂

    Como também estou na luta contra a balança (mesmo me amando muito hahaha, é pela saúde/fôlego/qualidade de vida), vou te indicar a nutricionista que me foi indicada pela ex-endocrinologista – que me mandou embora porque não tenho problemas de saúde, apenas falta de vergonha e apego a carboidratos.

    Ela é educadora, focada em reeducação alimentar e também voltada para atividades físicas. O nome dela é Wilma Rodrigues e atende no Largo do Machado, super perto do metrô: 2205-3097 / 2558-3104.

    Beijos

  • Responder Maris 19/11/2015 at 8:31 am

    Acho musculação chato e repetitivo. A melhor de todas as atividades prá mim é o yoga, traz consciência corporal, elasticidade, tonicidade e fora os pontos de rigidez por causas emocionais que a gente tem (e nem sabe) e o yoga vai mexendo e curando de forma silenciosa. Depois vem a dança, que é lúdica e divertida. Tenho me permitido, ultimamente, não me forçar a mais nada desagradável, incluindo academia com esteira, halteres, “treino” e whey. Beijos e alegrias!

  • Deixe seu comentário

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.