Entrevistas Literatura

Dicas de livros pela escritora Carol Teixeira

13/11/2016

Em 2008, entrevistei a escritora Carol Teixeira pela primeira vez e, pensando nas pessoas que admiro desde sempre, ela foi uma das primeiras que me veio à cabeça. Coincidências – ruins – do destino, a Carol também acabou de perder a mãe, e acho que esses acontecimentos fazem a gente sentir ainda mais vontade de se voltar para dentro, revisitar livros e encontrar na literatura e na arte apoio para redescobrir a beleza da vida. Convidei a Carol para dividir conosco suas últimas leituras. Não deixem de visitar o A Obscena Senhorita C e ler suas colunas na Revista VIP.

Os 5 livros que você está lendo

  1. Meia-noite e vinte (do Daniel Galera)
  2. A Imortalidade (do Milan Kundera)
  3. Como se estivéssemos em palipsesto de putas (Elvira Vigna)
  4. Uma fuga perfeita é sem volta (da Marcia Tiburi)
  5. e relendo A História do Olho (do Bataille)

Os top 3 livros da sua vida e os motivos

A Insustentável leveza do ser, do Milan Kundera. É um tratado sobre as relações humanas, essa dicotomia peso-leveza que ele coloca no romance é muito presente na minha vida também.E me identifico com a personagem Sabina.

Ecce Homo (Nietzsche): Nietzsche é meu filósofo preferido, foi lendo ele que decidi ser filósofa. Esse livro resume a filosofia dele, foi escrito quando estava quase louco. Acho genial.

Extremamente alto & incrivelmente perto, do Jonathan Safran Foer: Acabei esse livro aos prantos. Me tocou muito. E acho o Safran Foer um dos melhores escritores dessa geração. Comove sem obviedades, cair em sentimentalismos.

carol-teixeira-livros

Indicação de alguns livros para quem está vivendo um luto

Nada melhor do que a arte para preencher o vazio que o luto traz. Nesse momento acho melhor música – que nos afeta de forma imediata, sem a mediação da razão. Mas se for para indicar um livro, seria o Cartas a um jovem poeta, do Rilke. Meu livro de cabeceira. Leio e releio sempre que estou em alguma espécie de crise existencial. Tem uma visao poética, um existencialismo doce que só o Rilke consegue ter.

Indicação de livros para celebrar a vida

Henry & June, da Anais Nin. Nada melhor para celebrar a vida do que o erotismo.

O que você sentiu quando leu Caio Fernando Abreu pela primeira vez?

Senti que não estava sozinha e que ser tão intensa era ok. E que valia a pena sangrar no papel, que a arte vem do grito e que só vale se fosse assim. Amo tanto o Caio que não coloquei um livro dele entre meus top 3 por não saber qual deles escolher haha.

11 amaram.

Você também poderá gostar

1 Comentário

  • Responder Nana 15/11/2016 at 3:50 pm

    Valeu pelas dicas.
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br/

  • Deixe seu comentário