by Paula Pfeifer

Coisas que você deve fazer aos 35 anos

16/01/2017

Ainda não acredito que já caminho em direção aos quarenta anos, é surreal – pra vocês também? Eu era uma criança quando comecei o Sweetest há dez anos atrás, meldels! Parei pra pensar nas coisas certas que fiz na vida até agora e saíram algumas dicas que eu gostaria de compartilhar, pois além de me fazerem bem, me ajudaram muito. PS: a foto que ilustra o post é da Melina de Souza!

Botox

Comecei aos 30 e devo muito crédito às agulhadas mágicas por ter chegado até aqui com muito menos rugas do que teria se não tivesse feito. A pele fica com um brilho diferente, os pés de galinha agradecem, o sorriso ganha luz, a sobrancelha fica linda, o olhar abre… Sem falar que por vários meses você dá adeus à dor de cabeça tensional e à cara de cansaço. Acabei de refazer o meu! Sempre tiro fotos do antes-depois e guardo no celular só para mostrar para as amigas que têm medo ou nunca fizeram pois acham que Botox é preenchimento, hahaha. Se você ainda não fez, neste post tem antes-depois e esclarecimentos. Tenho várias amigas que me agradecem até hoje por tê-las feito perder o medinho. Amo! 🙂

Se ainda não for mãe, descobrir se quer sê-lo

Ô tarefa difícil. Por fora, 35 anos, por dentro, 21 – pena que os óvulos não acompanham a falsa sensação de juventude eterna, hein! Adiei esse assunto o máximo que pude mas, nos últimos meses, precisei fazer uma profunda investigação interna sobre os meus quereres. Me sinto abençoada por ter chegado a esta idade sem ter tido filhos pelos motivos errados ou com a pessoa errada, e isso causa uma sensação de liberdade boa, além de trazer paz de espírito. Criança não preenche os buracos internos de ninguém e quando a gente demora demais para ter uma, tudo parece infinitamente mais difícil, complicado e assustador. Descubra o que você quer e siga o seu coração!

Cultivar amizades verdadeiras

Esse sempre foi meu ponto fraco porque sou uma criatura de pouquíssimos amigos. Recém agora é que descobri o poder que as amizades verdadeiras têm na nossa autoestima e alegria de viver – sem as minhas amigas do peito, muitas coisas seriam dificílimas, elas tornam tudo mais leve. Aos 35 descobri que dores e alegrias compartilhadas com quem te quer bem pra valer têm outro significado.

Ler muito

Não espere a velhice para ler, porque ler faz bem pra alma. Quando alguém me diz que não gosta muito ou que não tem tempo, fico me perguntando com o que a pessoa preenche a mente, o pensamento e o espírito. Ler te permite entrar na mente de outras pessoas sensacionais, viajar pelo mundo sem gastar um centavo e se conectar consigo mesmo de modos muito bonitos. Ler é uma atividade poderosa da qual não abro mão. Minha mesinha de cabeceira é tipo estante de livraria e aonde quer que eu vá carrego um livro na bolsa. Assim nunca me sinto só.

Consultas vários ‘istas’

Dermatologista, endrocinologista, nutricionista, otorrinolaringologista, analista, dentista – todos os ‘istas’ possíveis para checar se a saúde está em dia. Aos 35, o furo é mais embaixo e não dá pra contar com saúde eterna sem cuidado e esforço. Ah, se eu tivesse consultado alguns ‘istas’ antes…

Perdoar quem nunca vai te perdir perdão

Essa eu demorei 35 anos exatos para compreender. Às vezes o pedido de perdão mais necessário para a nossa paz interna não vem, pelos mais variados motivos: problemas de comunicação, a pessoa acha que não te causou nenhum mal, você não quer contato com quem te fez sofrer tanto, etc. Um dia me olhei no espelho e pensei ‘cara, se eu não perdoar vou passar aos anos que me restam levando essa âncora pesada junto comigo pra qualquer lugar‘. E eu não queria isso. Perdoar não é esquecer e anular todas as coisas ruins e erradas que alguém te fez. Perdoar é abrir mão do peso horrível de carregar na bolsa e no peito uma dor medonha que contém uma raiva venenosa.

Dar um abraço de urso e dizer eu te amo toda noite para quem importa

Essa eu aprendi quando perdi minha mãe, porque um dia antes ficamos 14 minutos numa ligação de FaceTime que caiu – e fiquei com preguiça de ligar de novo e finalizar dizendo “te amo“. Verbalizar sentimentos faz toda a diferença. A gente não pode deixar que a rotina nos faça achar redundante dizer o óbvio, porque às vezes o óbvio não é tão óbvio assim. É tão bom ganhar um abraço, ouvir um elogio, ouvir que você é a pessoa mais amada do mundo. E é igualmente maravilhoso ser a pessoa que toma essa atitude. Prefiro ser lembrada como melosa grudenta chata do que como uma pessoa fria e distante. Tô nem aí! 😉

176 amaram.

Você também poderá gostar

4 Comentários

  • Responder Diana 17/01/2017 at 6:41 am

    Amei a lista Paula, mas no meu caso substituiria o botox por um silicone porque desde que fui mae aos 33 anos (sua opção 2) os peitos não estão a mesma coisa. Amei a ultima, abraço de urso a melhor coisa do mundo!

    • Responder Paula Pfeifer Moreira 17/01/2017 at 7:44 am

      Tem que ir no plástico ver isso, Às vezes a gente acha que é silicone e é outra cirurgia rsrsrsrs (qdo eu fui foi assim kkkkkk) :***

  • Responder Shirley Piccolo Vieira Stamou 07/02/2017 at 12:43 am

    Ah, que lista ótima, Paula!!!
    beijos!

  • Responder Cintia 07/02/2017 at 3:40 pm

    Paula, fazia séculos que eu nao entrava no seu blog… me arrependi pois vc continua com seus textos lindos. Adorei este post, vou favoritar aqui e ler sempre pra nao esquecer nunca destes tao importantes conselhos.
    Beijos,

  • Deixe seu comentário