Myself

Caderninho da gratidão

04/11/2015

Vai fazer um ano que vivo no Rio, e, olhando para trás, posso dizer que foi a mudança mais drástica que tive até hoje. Mudança de vida, porque mudança mesmo, de CEP, foi a primeira. Vim tão inocente, achando que tudo se ajeitaria em um mês e que eu estaria bem adaptada rapidinho. Só que aí várias coisas foram acontecendo, sendo a principal delas o fato da minha mãe ter ficado doente. 2015 foi um turbilhão de emoções, e algumas ondas não foram fáceis de segurar. Lembro que comprei esse caderninho em janeiro, numa viagem à França (aliás, Christian Lacroix papier, quem for alocka da papelaria como eu vai pirar, comprei mais um da linha na última viagem e é a coisa marrrlenda) e minha idéia é que fosse um diário. Dia desses resgatei no fundo de uma gaveta e tive um arrepio: quanta negatividade!!!

caderninho-gratidão

Mudanças são difíceis, mudanças drásticas são ainda mais – e assustam. Quando li as coisas que tinha escrito percebi que não queria mais nada daquilo. Não curto guardar nenhum tipo de memória ruim, nunca curti, por isso tomei a decisão de transformar essa coisinha fofa no meu caderninho da gratidão e da positividade. Me divirto escrevendo frases inspiracionais e coisas que me põem pra cima. Sou a prova viva de que TUDO que a gente coloca na mente, a mente coloca na vida – e andava agindo ao contrário exato disso que sempre acreditei. É bacana esse exercício de identificar a negatividade e cortar o mal pela raiz antes que ele cresça e as raízes aprofundem, mas requer esforço, atenção e foco. Tenho feito exercícios diários de gratidão, e quando a gente se propõe a fazer uma análise das coisas boas que nos cercam, elas aparecem aos montes. Lembro de meses atrás acordar pensando: ‘ai, mais um dia pra matar nessa cidade, ando tão perdida!‘. Minha vibe dos últimos tempos mudou para: ‘Gratidão por mais um dia no Rio de Janeiro junto à pessoa que eu amo!’ Acaba que tudo é uma questão de perspectiva. Fazendo uma autoanálise, acho que evoluí mais nesses 11 meses do que em todos os anos anteriores da minha vida, porque antes eu tinha aquele slow motion way of life e aqui é tudo agora, já.

Foi assim que entendi o título de um livro que li há alguns anos, ‘O Poder do Agora’. As peças se encaixam e passam a fazer um sentido muito doido, em especial para aqueles que, como eu, acreditam nesse lance de que o objetivo de estarmos aqui são dois: mudança constante e evolução. Antes, eu podia fugir de mim mesma e de muitos sentimentos, mas ao encarar minha vida nova essa possibilidade desapareceu. No fim das contas, foi a melhor coisa que poderia ter me acontecido, porque me deu um senso de renovação e de presença que eu não tinha, e isso me fez amadurecer de outro jeito. Esse contato power comigo mesma também me fez perceber e reconhecer defeitos tenebrosos meus, e tenho feito um esforço constante pra melhorar (é muita pretensão a pessoa achar que é capaz de se livrar dos defeitos). Deu vontade de vir aqui e escrever: façam seus caderninhos da gratidão e da positividade. Parece bobagem, mas faz uma diferença tão boa na alma que é impossível não querer compartilhar essa sensação com os outros. Vou reativar na última página uma mania que eu tinha, de fazer uma lista de desejos pro ano – fazia todo janeiro e lembro de chegar no mês de dezembro, olhar a lista e pensar “PQP, que medo, aconteceu tu-di-nho! 🙂

41 amaram.

Você também poderá gostar

4 Comentários

  • Responder Carol 05/11/2015 at 9:41 am

    Vou acatar a ideia! Paula, posso fazer uma sugestão de post? To com 30 anos e já não aguento mais esse papo de “tem que engravidar logo e blablabla”. Quando puderes, faz um post sobre esse lance de maternidade? Se tu tem essa vontade, se se sente pressionada..essas coisas..Um beijo no coração!

  • Responder Cami 06/11/2015 at 3:15 pm

    Paula, amei seu post.
    Acabei um namoro há uns 10 dias mais ou menos.
    Fiquei mto mal, toda aquela lamúria dolorida e ainda não sei mto bem o que fazer…Estou BEM perdida.. Mas há dois mudei meus pensamentos, apesar da dor, que é inevitável, resolvi pensar coisas boas para o futuro, com ou sem o meu ex, e meus amigos me cercaram e a vibe está mudando.
    O meu lema a partir de agora será:
    “TUDO que a gente coloca na mente, a mente coloca na vida.”

    • Responder Paula Sweetest Person Blog 09/11/2015 at 1:35 pm

      Fica bem que tudo se resolve!!
      😉
      Há males que vÊm pro bem!

  • Responder Maris 19/11/2015 at 8:22 am

    Fiz um também, e chamei de: meu pequeno caderno das delicadezas! Obrigada!

  • Deixe seu comentário