Myself

Bem pra alma 1

02/05/2016

Há tempos que queria juntar num post várias coisas do tipo música-filmes-livros-espiritualidade. Nos últimos tempos tenho feito um senhor esforço para me fortalecer e algumas coisas têm me ajudado, talvez elas também consigam ajudar vocês. Eu acredito que os livros nos encontram, e os últimos dois que me escolheram na Livraria da Travessa foram esses dois.

livros_bem-pra-alma

Confesso que nunca li nenhum livro do Stephen King, esse é o primeiro. Comprei justamente pelo fato de ser uma biografia, na qual ele conta todas as histórias tristes e interessantes da sua infância e adolescência. Eleito pela Time Magazine um dos 100 melhores livros de não ficção de todos os tempos e vencedor dos prêmios BRAM STOKER e LOCUS na categoria Melhor Não Ficção, ‘Sobre a escrita — A arte em memórias’ é uma obra extraordinária de um dos autores mais bem-sucedidos de todos os tempos, uma verdadeira aula sobre a arte das letras. O livro também não deixa de lado as memórias do mestre do terror: desde a infância até o batalhado início da carreira literária, o alcoolismo, o acidente quase fatal em 1999 e como a vontade de escrever e de viver ajudou em sua recuperação.

Também não li ‘Só garotos’ da Patti Smith e resolvi começar  por esse com pegada autobiográfica. Já deu pra perceber que tenho tara por biografias, não? Culpa de Caio Fernando Abreu, desde o seu ‘Cartas’ que compro todas as biografias e trocas de correspondências que aparecem no meu radar. O livro começa no Greenwich Village, o bairro que tanto marcou sua história. Todos os dias a artista vai ao mesmo café e, munida de seu caderno de anotações, registra suas impressões sobre o passado e o presente, a arte e a vida, o amor e a perda. Num tom que transita entre a desolação e a esperança – e amplamente ilustrado com suas icônicas polaroides -, “Linha M” é uma meditação sobre viagens, séries de detetives, literatura e café. Um livro poderoso e comovente de uma das mais multifacetadas artistas em atividade.

  • O Canal do YouTube da Rachel Newman me dá paz, bem como a página dela no Facebook. Sabe aquela pessoa que te acalma, que tem sempre uma palavra iluminada, cuja voz te traz paz? Ela é assim pra mim. Imaginem a minha felicidade: vou a Toronto nesta quinta-feira e combinamos de nos encontrar lá. Nem imagino como seja encontrar alguém que você considera um guru, um mestre, ao vivo e a cores. Acho que vou dar uma pirada!!!
  • O site Vamos Falar Sobre o Luto foi um grande achado nesse momento pós-morte da mãe. Queria dar um abraço nos criadores, porque me emociono com todas as histórias e tiro um peso dos ombros quando leio depoimentos tão reais e verdadeiros sobre a dor alheia.
  • O app Daily Teachings é a primeira coisa que checo todos os dias pela manhã. Li “The Secret” há dez anos e ele sempre me fez muito bem. Esse aplicativo é para quem não quer deixar aquela energia boa sumir, quer manter a chama da positividade acesa dentro de si, mas precisa de uma forcinha (sou dessas!).

digital-bem-pra-alma

O filme Viver sem Endereço me causou uma noite de choro compulsivo – ele e um mix de Johnnie Walker, memórias, saudade e o fato de estar sozinha em casa num sábado à noite. Dois moradores de rua, Tahir (Anthony Mackie) e Hannah (Jennifer Connelly) de Nova York vivem rodeados por desespero, perigos e incertezas. Eles acabam se conhecendo e se apaixonando. Tahir e Hannah encontram consolo e força e, aos poucos,  contam um ao outro como foram parar nesta situação de dificuldade, e percebem que juntos podem tentar construir uma vida melhor.  Moro em Copacabana, um lugar que tornou banal a existência de moradores de rua. Sinto vontade de me aproximar e conversar com vários com os quais eu topo todos os dias, mas confesso que não sei como começar a conversa. Dia desses dei R$20 e um cacho de bananas para uma nova moradora de rua que se instalou perto do meu prédio, uma senhora, e ela agradeceu dizendo: “Deus te abençoe, minha filha!”. Não consigo me acostumar com isso, com a banalização e a normalização da dor do outro. Se alguém souber de alguma iniciativa interessante pró-moradores de rua no Rio de Janeiro, por favor, compartilhe comigo.

filmes_bem-pra-alma

faz-bem-pra-alma

  • Chorar faz bem pra alma. Às vezes passo uma semana sem derramar uma lágrima, às vezes engato um choro de horas e horas seguidas.
  • Escrever cartas para quem se foi faz bem pra alma. Faço isso sempre que bate uma vontade irresistível e me asseguro de não deletar memórias e nem sentimentos. Sem falar que a sensação é a de que a pessoa está ao seu lado, rindo e chorando junto com você. Verdadeira terapia.
  • Olhar pro céu faz bem pra alma. Passei a vida inteira morando no térreo, com vista pro muro pichado do vizinho (rsrsrsrs) e desde 2014 fui parar no último andar de um prédio, com um pedaço enorme de céu, floresta e de Cristo Redentor. Anos atrás eu brincava que meu sonho era morar num lugar no qual eu pudesse ficar olhando para as estrelas todas as noites. Hoje é uma das coisas que mais amo fazer. Não sei se gosto mais de dia, com aquele céu azul lindo, ou à noite, com aquela vestidão estrelada. Me põe em contato com a minha pequenez neste mundo.
  • Arrumar as coisas faz bem pra alma. Ultimamente parece que a vida é hoje, agora, já. Que não posso perder nenhum detalhe, nenhum minuto. Ao mesmo tempo em que causa uma ansiedade FDP, de algum jeito louco também acalma. Descobri que manter meus cantinhos e coisinhas arrumados me ajuda a dominar essa ansiedade, pois ‘vejo’ as coisas que tenho, percebo que não preciso de mais pra ser feliz e, estando tudo à mão, não esqueço de nada e ainda consigo ir usando tudo dia após dia.
  • Retomar projetos antigos faz bem pra alma. Hoje fiz minha primeira aula particular com um professor inglês (amo sotaque britânico) em casa e quando acabou fiquei me sentindo a mais realizada das criaturas. Queria ter começado a fazer isso desde que voltei a ouvir, mas fui deixando de lado. Se alguém quiser o contato do professor, ele se chama Freddie, veio de Londres, a aula custa R$100 e tem 1 hora e meia de duração – deixa um comment que eu passo o telefone dele.
  • Mandar WhatsApp pra minha vó faz bem pra alma. Engraçado como a Tereca é toda clássica até pra responder whatsapps. E ver ela brigando com o corretor ortográfico é impagável.
  • Enquadrar fotos de momentos históricos da vida faz bem pra alma. Namorava essa idéia há muito tempo, e semana passada comecei uma pesquisa de preços. Fechei negócio com uma molduraria e fiz as seis primeiras, que ficaram tãããão lindas. Voltei lá no outro dia com mais oito fotos. Dei início à minha tão sonhada parede de fotos emolduradas em dourado (e o tio perguntando ‘mas só dourado, não pode outra cor não?). Tenho da minha primeira comunhão, casamento dos meus avós, début da minha mãe, meu casamento, lançamento do segundo livro, minha festa de um aninho…e se Deus quiser temos uma vida inteira pela frente para que todas as paredes da casa sejam abarrotadas de fotos. Com moldura dourada, claro! 🙂
  • Almoçar num lugar diferente com o marido toda sexta-feira faz bem pra alma. Um casal precisa – muito – de certas rotinas a dois que envolvam paz, romance e risadas. Nossa diversão é escolher o lugar.
53 amaram.

Você também poderá gostar

11 Comentários

  • Responder Nana 02/05/2016 at 6:46 pm

    Que bom que você está seguindo a vida e conseguindo recomeçar um pouquinho a cada dia. Gostei muito das dicas e vou conferir o filme que já está na minha lista do netflix há muito tempo.
    Bj e fk c Deus
    Nana
    http://nanaeosamigosvirtuais.blogspot.com

  • Responder Bárbara Ferraz G. Vieira 02/05/2016 at 6:48 pm

    Lindo post
    Feliz de saber que você está buscando formas de lidar com essa dor inevitável .

    Saiba que se precisar pode contar comigo.
    Bjs

  • Responder Vivian 02/05/2016 at 7:06 pm

    Paula,
    Eu gostaria muitíssimo de ter te abraçado bem apertado logo depois que li o texto sobre a partida da tua mãe e chorei muito indo para o trabalho. Chorei em solidariedade a tua perda, chorei de emoção porque teu post também foi sobre amor, um amor imenso que deixou saudades imensas.
    Leio aqui faz muito tempo, dos looks e maquiagens do “tio coreano”, do caminho que percorreste para ouvir o mundo de novo ade todas as mudanças ao longo desses anos.
    Teu blog é o único que continuo lendo pelo mesmo motivo que assistes a moça canadense: faz bem para alma.
    Um abraço e um grande beijo, a parabéns pela tua trajetória.

  • Responder Cybele Costa 02/05/2016 at 8:00 pm

    Que confortador ler tudo isso…
    Que Deus continue abençoando vc e trazendo paz ao seu coração.
    Sinta meu abraço apertado!

  • Responder Amanda Pessoa 02/05/2016 at 8:24 pm

    Fror,
    Tempo é chave sempre e vc é um anjo por compartilhar tanta coisa boa.
    Dê um abraço bem apertado em Rachel por mim (ela tem esse mesminho efeito na minha vida).
    Beijo no seu coração gigante.

  • Responder Mare 02/05/2016 at 9:15 pm

    Perua, não é que também encontrei a Rachel Newman na minha vida? Ela me faz um bem danado, nem acredito que tu vai conhece-la! Manda um beijão pra ela, não esquece! Uma coisa que me acalma muito é sair no fim de semana andando pela Paulista e afins escutando música no celular, assim sem rumo. Meditar me acalma muito e lava minha alma. Bjaoo

  • Responder Carol 03/05/2016 at 12:08 pm

    Que delícia de post! Estás mais leve, apesar da dor. Desejo que sigas bem e em paz, melhor a cada dia. Mereces o melhor. Beijo

  • Responder Suzana Aparecida Ferreira 03/05/2016 at 12:13 pm

    Minha querida Paula.
    Amei saber sobre esse seu cantinho de paz. Gostei muito das recomendações, fiquei interessada nesse filme,vou buscar saber!
    Sobre a questão dos moradores de rua, tem uma iniciativa bem bacana chamada Rio Invisível, que visa jogar luz, nesses que ficam nas ruas como se não existissem… Talvez por essa página você consiga descobrir mais sobre outras iniciativas também!
    https://www.facebook.com/rio.invisivel/

    um beijo

  • Responder Thaís 03/05/2016 at 4:51 pm

    Amo seu blog! Obrigada por compartilhar conosco! *-* s2

  • Responder Analice 04/05/2016 at 5:04 pm

    Adorei as dicas Paula! Eu conheci a Raquel há um tempo atrás através d vc e tb gosto mto. E essa coisa d arrumar os cantinhos da gte eu tb faço e me faz um bem danado. As saídas c o marido aqui tb são sagradas. Beijos

  • Responder Rachel Newman 04/05/2016 at 10:07 pm

    Anjo, gratidão por ser sempre tão generosa e me permitir ser espelho para sua Luz.
    Contando os minutos para te ver, beijo enorme ❤️❤️❤️

  • Deixe seu comentário