Indicações Literatura

Algumas dicas de livros

14/09/2015

Minha vontade de comprar livros novos é diretamente proporcional à minha falta de tempo e de lugar para guardá-los. Antes de vir pro Rio, me desfiz de mais de 300 livros – antes que me chamem de louca, acho que livros devem circular, e tirando aqueles que são especialíssimos, leio e dou jeito de que eles sigam seu rumo. No meu aniversário, semana passada, ganhei uma edição lindíssima do Diário de Anne Frank (obrigada Jordana!!!) que é tipo obra de arte. A capa imita mesmo um diário e dá para usar como objeto de decoração. Eu, que nunca tinha lido esse diário, estou adorando – e me surpreendendo com a língua afiada da Anne, será que ela era virginiana?

annefrank

 

Livro recém saído do forno para as amantes de Frida Kahlo, de Rauda Jamis. Eu compraria só pela capa, rsrsrs! Baseada nas melhores fontes de documentação e escrita com entusiasmo e sensibilidade, esta biografia romanceada traça o retrato de uma mulher extraordinária, dilacerada por terríveis sofrimentos físicos e uma imensa força de criação. Apresenta, além disso, o quadro de uma época, do México revolucionário aos riquíssimos salões nova-iorquinos, passando pelas galerias surrealistas da Paris dos anos 1930. Conhecer a vida de Frida Kahlo significa conhecer também a vida de Diego Rivera, seu marido, além de facetas importantes de homens como Trotsky, Picasso, Breton, Duchamp, Kandinsky e outros.

frida

 

Voltando da Bodytech esses dias entrei numa livraria e comecei a folhear o livro ‘Os Guinle’, que conta a história desta icônica família do Rio de Janeiro. Como sou alocka das biografias, só não comprei porque estava sem minha carteira na hora. O sobrenome Guinle parece estar eternamente associado ao hotel Copacabana Palace e permanece no imaginário popular como uma espécie de sinônimo para luxo, glamour e opulência. As lendas em torno do comportamento extravagante de alguns de seus integrantes, porém, obscureceram a atuação da família como empreendedores pioneiros no século XX, no momento em que o Brasil dava seus primeiros passos rumo à industrialização. Filho de imigrantes franceses, nos estertores do Segundo Reinado, Eduardo Palassim Guinle, sua esposa Guilhermina e o sócio Cândido Gaffrée começaram a vida com um modesto armarinho na rua do Ouvidor e iniciaram um processo de ascensão socioeconômica que culminou com o monopólio sobre a modernização e a operação do porto de Santos por incríveis 92 anos. Deram início a uma dinastia que deixaria sua assinatura no mundo empresarial, nas artes, na exploração de petróleo e até mesmo na popularização do futebol como preferência nacional. O historiador Clóvis Bulcão resgata as realizações dos sete filhos de Eduardo e Guilhermina, a geração que conheceu tanto a glória quanto o início de um inexorável processo de decadência. São personagens que apostam em inovações, como a eletrificação urbana e a construção de rodovias, que se movimentam com desenvoltura na cena política, no jet set internacional e até mesmo nos palcos. Sob o lema ‘Se você deseja, não lhe fará mal’, construíram castelos que não resistiram à passagem do tempo.

guinle
 Aceito sugestões de livros, gurias. Quem se habilita? 🙂
12 amaram.

Você também poderá gostar

6 Comentários

  • Responder Jordana Freire 14/09/2015 at 12:08 pm

    Tãoooo feliz em saber que tu gostou do livro.
    Me sinto aliviada hahahaha

    te amo
    beijos

  • Responder Vini 14/09/2015 at 10:14 pm

    Adorei a ideia de fazer os livros rodarem. Estou precisando fazer a mesma coisa!
    Parabéns

  • Responder Michelle 15/09/2015 at 10:24 am

    Paula, dá uma olhada no livro “toda a luz que não podemos ver”. E não…não é um livro de autoajuda. rs

  • Responder Rafaelle 15/09/2015 at 11:37 pm

    “O Diário…” tá sendo, pra mim também, uma leitura maravilhosa!!!
    Anne Frank é daquelas que desejaria ter como amiga. rs

  • Responder Norma 03/11/2015 at 12:35 pm

    Oi, Paula! Que bacanas seu blog e seu texto! É a primeira vez que venho aqui comentar, mas estou gostando tanto das postagens todas que já vou logo indicando um livro fantástico e que tem tudo a ver com seu amor por biografias: Rainha da moda: como Maria Antonietta se vestiu para a Revolução, de Caroline Weber. É uma espécie de “biografia temática” que apresenta o gosto de Maria Antonietta pela moda como um modo de resistência à rígida cultura monástica francesa. A linguagem é maravilhosa e eu li como se lê um romance, sem conseguir largar até terminar. Abração pra você e parabéns por fazer a diferença neste mar plácido da blogagem brasileira!

    • Responder Paula Sweetest Person Blog 04/11/2015 at 2:32 pm

      Seja bem-vinda <3

    Deixe seu comentário