by Paula Pfeifer Maternidade

A semana de 37 da gravidez e a reta final

25/04/2018

Esse deve ser o último post do Sweetest que escrevo antes de me tornar mãe. O grande dia está chegando, e por incrível que pareça não estou doidona de ansiedade e nem nervosa, quem diria. Mas…tô morrendo de cansaço, falta de ar, dor nas costas, dor na alma, rsrsrs. A reta final não é para os fracos, mesmo.

Tive uma gestação tranquilíssima, com direito apenas a muito enjôo durante umas semanas (lembro que foi até a semana 13, e um dia acordei e nunca mais senti isso). De resto, não tenho do que reclamar. Sem sustos, sem intercorrências e nem sentindo que estava grávida na maior parte do tempo.

Quando fiz o antepenúltimo ultrassom, meu radiologista, Dr.Baião, me disse: “A sua gravidez começa agora!“. Saí de lá tentando entender, e aí caiu a ficha de todas as vezes em que mamães me disseram que a gestação dura 8 meses mais 8 meses – o último mês é realmente uma prova de resistência física e emocional.

Desde o início eu sabia que queria uma cesariana, mas passei a gravidez inteira tentando me convencer do contrário. No fim, a natureza ajudou, e Lucas está sentado que nem um Buda, é enorme e não vira mais. Será cesárea, anyway. A pressão pelo parto natural é tão grande – e tão chata, diga-se – que quando falo que ele está sentado, já começa o blablabla: “Ah, mas ainda pode virar”, “Ah, mas com yoga ele vira”, “Ah, mas tem manobra para virar”.

A mãe tem o direito de preferir uma cesárea, por ‘n’ motivos, que são particulares e não dizem respeito a ninguém. E é um saco ter que ficar se explicando, se sentindo julgada, aturando olhares de desprezo, ouvindo esporros insistentes, lendo textão pró-parto natural de um jeito extremista e ditatorial ou comentários que dizem que você é uma egoísta desinformada e está errada na sua escolha. Hipocrisia imensa, só acho. Deixem as mães em paz. Cada uma decide o que é melhor para si.

Se antes as pessoas glamourizavam a maternidade e escondiam a realidade, hoje o foco é radicalizar a realidade e pentelhar a gestação alheia. 99% dos perfis do nicho maternidade que passei a seguir no Instagram, dei unfollow. Uma cagação de regra, uma piração sobre como agir para ser mãe e ser mulher ‘de verdade’, e mais um monte de baboseiras que não tinham nada a ver comigo. As pessoas se dizem pró-diferenças, mas apenas se você concordar que a diferença delas é a certa. Tenho saco não…

Outra coisa que me chocou foi o fato de que raras são as pessoas que têm algo a dizer de positivo sobre a maternidade. As top coisas que mais escuto são: “Sua vida acabou”, “Você vai sentir uma saudade de ser livre”, “Você nunca mais vai dormir”, “Você nunca mais vai ter paz”, “Você nunca mais vai conseguir guardar dinheiro”. Bem, se eu esperei até os 36 anos para ter um filho, presume-se que eu sabia onde estava me metendo, certo? Rsrsrsrs!

O tempo voou, a barriga cresceu e agora estou prestes a conhecer o meu filhote. Lembro que queria muito uma menina e jamais cogitei ter menino, lembro da sensação ao olhar o resultado do NIPT e ler ‘sexo masculino’, lembro da descarga de adrenalina do dia em que descobri a gravidez, lembro da reação de cada pessoa próxima que contamos a novidade, lembro do meu pânico nos primeiros meses.

Agora é torcer para que ele chegue com saúde e a gente se entenda rápido. Não cultivei nenhum tipo de expectativa desde o começo e acho que isso vai ser legal porque vai me permitir aceitar as coisas como elas vierem. Ainda não caiu a ficha de que quando menos esperar vou trazer um ser humano a esse mundo e vou ter que ensiná-lo a ser gente.

Ganhei 12kg até agora. Esses dias comprei um maiô numa liquidação, azul marinho, lindo de viver. Comprei pensando ‘vai ficar grande, claro‘, e quando fui vestir para ir à praia não é que o negócio entalou no umbigo? Ri muitoooooo.

Obrigada pela companhia até aqui! Em breve volto pra contar como foi o parto 🙂

49 amaram.

Você também poderá gostar

7 Comentários

  • Responder Marcia Pimentel 27/04/2018 at 11:10 am

    Paula, te sigo há muito tempo, porém pouco comento. Sou sua fã! Também não tenho saco pra esse monte de baboseira que querem nos enfiar goela abaixo sobre a maternidade. Cada mãe sabe o que é melhor pra si e para seus filhos. Acompanhei toda a gestação e morrendo de curiosidade para ver a carinha do Lucas.

    Que Deus te dê uma boa hora e que Nossa Senhora do Bom Parto te acompanhe!

  • Responder Janaína M 04/05/2018 at 10:50 am

    É, a pressão vem de todos os lados. O importante é a mais estar segura do que ela quer e ponto final. Na minha opinião, a pressão é MUITO maior pela cesárea do que pelo parto normal. O que ouvi de histórias de desgraças quando falei que preferiria um parto NATURAL. Fora isso, muitos médicos nem dão a opção pelo parto normal e já querem enviar as mães para a cesariana, mesmo sem necessidade e mesmo quando é o desejo delas que a cesárea seja a última opção. E isso é muito triste SIM. As futuras mamães têm que ser ouvidas e respeitadas nas suas decisões, nos seus desejos. Caso queiram a cesárea, ótimo, mas se optarem pelo parto normal, deveriam ser apoiadas da mesma forma

  • Responder Izabella 06/05/2018 at 9:47 pm

    Que delícia ler seus posts, Paula! A internet ficou muito chata e politicamente (falsamente) correta demais e ler suas palavras sinceras me faz perceber que vc não perdeu sua essência por aqui!
    Tenho uma filha de 2a3m e cada dia é uma descoberta. A maternidade é uma viagem com destino certo, mas é como se te buscassem na sua casa para a tal viagem sem dizer qual o meio de transporte, qual o itinerário, quantas horas irá demorar para chegar lá. Ou seja: zero controle!
    Discordo de todos que dizem essas coisas de que nunca mais vai dormir, ter tempo para vc e tal. Tudo é questão de prioridades e quando estabelecemos as nossas conseguimos sim fazer o que queremos.
    Vc vai aprender a ser mãe todos os dias da sua vida, à sua maneira e estará certíssima em todas as decisões que tomar porque fará tudo por amor ao seu filho!
    Uma boa hora para você e que Lucas venha com muita saúde!

  • Responder Juliana 09/05/2018 at 10:14 am

    Paula, tudo o que te falaram de negativo sobre ser mãe é verdade…. cada aspecto da sua vida, se olhado isoladamente, piora: vida social? Piora. Vida sexual? Piora. Relacionamento? Piora. Vida financeira? Piora… PORÉM, acredite, é só por um tempo e vale a pena. Tudo isso é um grande nada quando comparado ao amor que você vai sentir, e no final, o saldo é super positivo… nada na vida pode te preparar para esse sentimento ,que é avassalador. No meu caso, trabalhar esse amor e todo lado emocional que um bebê envolve, foi o que mais me cansou. muito mais do que acordar a noite ou trocar fraldas… mas enfim, cada caso é um caso.
    Me identifiquei muito com seu depoimento sobre a cesariana. Eu também já estava decidida a fazer cesária e achava um saco esse bla bla bla em torno do parto natural… como se eu fosse menos mãe, ou como se minha filha fosse me amar menos… espero de coração que você tenha um parto tranquilo, como foi o meu, e que vocês fiquem bem (os três).

  • Responder Danusa 09/05/2018 at 9:32 pm

    Estou aqui só pra registrar que sou muuuuuito feliz como mãe. Tanto é que estou grávida do meu terceiro menino.
    O que vejo é que, no fim das contas, as pessoas usam os próprios filhos como justificativa para uma insatisfação pessoal, que, na boa, já existia antes de as crianças nascerem.
    Muitas alegrias pra vc e sua família

  • Responder Nathalia Grün 12/05/2018 at 4:22 pm

    meu parto também foi cesarea porque minha nene estava também sentada. a cesariana foi algo bem ruim pra mim porque foi algo muito sem emoção e frio. além disso, passei mal durante a cirurgia. acredite vomitei no meio :/ minha nene também demorou a sair da barriga e ficou meio mal nos primeiros segundos. mas agora está bem saúdavel!
    mta saúde pra voces beijo!

  • Responder RENATA CAPUTE 05/06/2018 at 6:33 pm

    A MINHA CESÁREA FOI O MEU PARTO PORQUE EU QUIS…..KKKKKKKKKKK ACHO QUE JÁ CHOQUEI MUITA MAEZINHA, MAS FALO DE BOCA CHEIA QUE FOI A MELHOR COISA PRA MIM… PARABÉNS !!!

  • Deixe seu comentário

    This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.