by Paula Pfeifer

A semana 25 da gravidez

02/02/2018

Cá estou eu, na semana 25 da gravidez, e decidi escrever esse post depois de passar meia hora no Google tentando descobrir quanto as mulheres com o mesmo tempo de gestação já engordaram. Mas só encontrei uns posts chatos de calculadoras de IMC e blablabla. Tudo começou quando fui vestir uma calcinha-short tamanho M que comprei semanas atrás e esqueci totalmente (alô Alzheimer) jurando que ia ficar grande e, de repente, me peguei checando se por acaso a calcinha era PP porque entalou nas coxas!!!

O discurso de ‘esquece isso’ é bonito na teoria, só que na prática, não funciona bem. Acompanhar a mudança corporal requer muita respiração profunda e promessas internas de que sim, darei um jeito depois de consertar os estragos. E me desculpem as mulheres que acham que gravidez nos dá licença poética de engordar como se não houvesse amanhã, mas o amanhã vem, e aposto que, assim como eu ando pirada com isso, 99,99% das grávidas sentem o mesmo. 

Queria ter um parâmetro, então perguntei no Instagram (@paulapfeiferm) e as respostas variaram muito! Teve gente que engordou 6kg, teve gente que engordou 26kg, outras, 16kg…. Teve quem perdesse tudo dois meses depois e quem esteja até hoje tentando. A última subida na balança acusava 64,5kg. Quando engravidei, estava com 59kg. Então já são 6kg até agora, o que dá 1kg por mês de gestação. Enfim, melhor me convencer de que essa é uma preocupação universal das grávidas. E não, não acho uma preocupação fútil e nem estética, cada um sabe onde aperta o sapato nesse quesito. No meu caso, não me suporto enquanto estou tentando emagrecer, emocionalmente falando. Fico neurótica, chata, estressada, um nojo.

Minha vó Tereca chegou no Rio para passar umas semanas comigo, e peguei uma montanha de fotos surrupiadas da família e ficamos vendo juntas. Eu, tentando disfarçar as lágrimas, ela, tentando puxar da memória várias das cenas – engraçado como a memória de alguém pode ser boa aos 82 anos! Nós somos tão parecidas de jeito. Quando quero exagerar nas minhas previsões de como será após a chegada do Lucas, ela me manda parar de frescura porque teve 3 filhos e cuidou deles sozinha enquanto trabalhava fora 44horas por semana. Sem falar que ficou viúva aos 47 anos, e tocou o barco só desde então.

Minha gestação tem sido fugir e revisitar o meu passado, cada dia uma dessas opções. Muitos sentimentos esquisitos, muitas constatações interessantes sobre quem me tornei, muitos sonhos ficando cada vez mais claros agora.

A pagação de língua, gente… Vou aproveitar para fazer uma confissão terrível. Nunca senti muita simpatia por grávidas e hoje tenho vergonha de dizer isso. Mas antigamente eu ficava até irritada quando via uma grávida lenta sofrendo para fazer alguma coisa, atravancando o caminho na rua, empacando o elevador ou então acariciando a barriga em público. Eis que virei essa pessoa! Minha empatia por qualquer gestante agora é grau mil, máximo. Entro no metrô esbaforida, pergunta se algum dos folgados que estão sentados nos assentos para idosos, deficientes e gestantes levanta? Evitam qualquer contato visual que é pra não levantar mesmo!

Não comprei roupas de grávida, só um extensor de calças com 3 faixas (branca, azul e preta) pelo Facebook. Mas o calor é tanto aqui no Rio que só consigo usar vestidos. Sutiã voltou a ser dramático, mesmo com extensor e a maior taça possível (deve ser taça Z, hahaha) me dá falta de ar. Tenho sido salva pelos meus velhos tops da Brasil Sul, que aliás, não estragam nunca. To usando um que tem pelo menos uns seis anos, entrei no site para ver se tinha outros iguais a ele mas a loja virtual ta super desatualizada. Hoje é que fui na Renner e arrematei um short jeans de maternidade…E também calcinhas de tamanho mais adequado, hahahaha #tenso

Já penso em como vou sentir falta de sentir Lucas mexendo na barriga, porque ele mexe muito. E a cada mexida a lembrança de que em breve estaremos juntos. Em breve vou conhecer o rostinho dele, pegar no colo, sentir o cheiro. Nossa, dá até arrepio. Mas sentir braços, pernas e cabeça rodopiando no útero é uma sensação indescritível, uma ligação que só a mãe tem a chance de ter com o filho. O guri nem nasceu e fico pensando na saudade que vou sentir disso, porque é emocionante.

Não fiz estoque de nada por enquanto, embora já tenha comprado uns pacotes de fraldas e alguns cremes, creme de fralda e lencinhos umedecidos. Como boa virginiana, queria ter tudo organizado e estocado para o primeiro ano de vida dele, mas tô super controlada. No final de semana eu e a vó faremos um inventário do que já tenho e do que falta comprar – carrinho, por exemplo, não faço ideia de qual será, colchão do berço preciso comprar, falta um moisés, falta uma poltrona legal pra amamentar…

Também não me estressei com decoração do quarto, embora o berço esteja montado há meses. Acho fofo fuçar no Pinterest mas essa vida Pinterest feelings não combina comigo. Ontem até levei um toque do pai: “O quarto do Lucas virou tele-entulho, bora resolver isso?

Uma amiga uma vez me disse que quando meu filho nascesse eu sentiria uma falta monstruosa da minha mãe. Eu evito pensar nela. Evito pensar que meu filho não terá nenhuma das avós. Evito tudo o que me entristece, mas ontem olhando fotos antigas foi tão doído vê-la de novo, muito mais nova que eu, com dois filhos. Aposto que se estivesse viva minha única preocupação seria parir e amamentar, o resto ela resolveria. Dói.

Perguntas pra vocês

Fizeram curso de banho, shantala, fralda, amamentação? Fizeram estoque do que? Como escolheram o carrinho? O que levaram na mala de maternidade? Como lidaram com o puerpério e quanto tempo ele dura? O que esperar dos três meses finais?

O extrator de leite chegou!

Meu Extrator de Leite Swing da Medela chegou, pela SweetCare (a loja de Portugal que entrega no Brasil via PAC sem chance de taxas). Eles têm o melhor preço da internet. Usando o cupom SWEETESTDISCOUNT rola 5% OFF extra, mas to tentando descolar alguma promoção melhor, se rolar, aviso aqui. Ele foi o escolhido porque, quando pedi dicas sobre isso no Instagram, T-O-D-A-S as mensagens que recebi indicavam ele, é unanimidade entre as mães! 🙂

36 amaram.

Você também poderá gostar

15 Comentários

  • Responder Bárbara Ferraz de Gusmão Vieira 02/02/2018 at 12:27 pm

    Oi Paula, Super feliz de saber que Lucas está indo bem ai dentro ehhe Para falar a verdade eu não lembro BEM como eu estava com 25 semanas, engordei 16 quilos ao todo e perdi e já engordei de novo , se não tiver ainda procure uma nutricionista, e não fique com tanta neura de engordar, tem gente que engorda MUITO e perde tudo e tem gente que engorda pouco e nao perde nada…. Amamentar é o segredo pra perder tudo auehuahe
    No final da gestação fiz um curso de amamentação, mas eu tinha na minha cabeça que seria SUPER FÁCIL amamentar. Quebrei a cara !!!! Então se você pretende amamentar, eu sugiro que faça vários cursos SIM, peça ajuda a babas, enfermeiras, consultoras de amamentação, fonoaudiólogas.. enfim a QUALQUER pessoa que possa te ajudar ( não dê ouvidos ao povo que manda enfiar uma mamadeira no bebê uheuhe). Procure logo um pediatra que seja ÓTIMO e que pense parecido com o que você quer para o Lucas , ( quebrei a cara pela 2 vez, confiei na G.O e não tive assistência NENHUMA) .
    No meu caso eu peguei uma lista dessas de compras de enxoval e segui. Ganhei MUITA coisa, fiz chá de fralda e achei que valeu a pena ( tive fralda por 8 meses) . Estoque mesmo so de fralda, cada bebê se adapta a uma marca de fralda, portanto se pretende fazer chá, peça umas 3 marcas diferentes.
    Mala da maternidade levei 5 conjuntos já separados, fralda, calça blusa, meia e luva ( dispensável a luva) ,
    Melhor conselho que eu posso dar a uma grávida. USE OLEO, use hidratante , CUIDE DE VOCÊ. Compre roupa confortável sutiã, cinta. Compre coisas confortáveis PARA VOCÊ. Todo mundo pensa no bebe, SO no bebê, o pós-parto é PUNK, tem dias que você acha que nao vai sobreviver, tem dias que você acorda e dorme sem tirar o pijama. Tenha uma boa empregada domestica, ou babá. tenha alguém para ficar em função de CUIDAR de você, para você cuidar do Lucas.
    Conselho 2, faça o que você e o Luciano acharem certo. Você será julgada/apontada como boa/péssima mãe por QUALQUER escolha que fizer. Se resolver amamentar, esta errada, tinha que dar mamadeira, se resolver dar mamadeira, tinha que ter amamentado. Se deixar dormir junto , vai acabar com a intimidade do casal, se puser no outro quarto está abandonando seu filho :P. Faça O QUE você e o Luciano acharem certo e PRONTO !!!
    Boa sorte e saúde pra você e pro Lucas

  • Responder Aline Souza 02/02/2018 at 12:39 pm

    Oie Paula,

    Vou contar um pouquinho da minha experiência.
    Estou grávida também de 25 semanas.
    Quando engravidei pesava meus 63 kilos, na ultima consulta com a médica tinha chego aos 67,50.
    Só que em um único mês (dezembro) engordei 2,5 fiquei meio preocupadinha.
    Ontem surgiu minha primeira estria da gravidez no seio para a minha tristeza. Começando a redobrar os cuidados.
    Vou fazer um curso de amamentação e apenas esse, tenho a sorte de poder treinar antes do meu Fábio nascer com a minha sobrinha, ela vai nascer um mês antes.
    Já tenho estoque de fralda, lenço umedecido, pomada e shampoo.
    O quarto já esta montado fazem uns 2 meses.
    Já tenho o carrinho comprei o que era mais fácil de montar e desmontar, que não fosse muito grande e pesado. Comprei da marca chicco liteway. E comprei usado.
    Para a a mala da maternidade vou separar com aqueles pacotinhos cada kit que o bebê vai usar. Vou usar as listas padrões da internet tbm.
    O que eu espero dos 3 meses finais, que a canseira vai aumentar, o pique vai diminuir hehehe.
    Espero que não tenha problema em dormir! (Vou torcer, por enquanto esta tranquilo)
    E também já fui conhecer umas das maternidades onde minha obstetra atende, mês que vem vou conhecer a outra.
    Como sou mãe de primeira viagem não consegui te ajudar muito hehehe

  • Responder Grazielle Lisboa 02/02/2018 at 1:01 pm

    Eu e o marido fizemos um curso que a maternidade aqui ofereceu, eles deram informações básicas sobre os tipos de parto, amamentação, teste do pézinho, banho etc… Na prática eu nem lembrei do curso, mas acho que foi um momento bem legal nessa fase de gravidez para eu e o pai curtirmos juntos.
    As poucas coisas que fiz estoque me arrependi, aqui pelo menos nada seguiu grandes protocolos, não adianta comprar uma pomada que você viu que é mara e depois testa no baby e é péssima kkk. Na minha opinião de inicio é mais legal ter um ou dois de cada coisa, testar e ai só depois fazer estoque. A pediatra aqui passou na maternidade o sabonete de glicerina da Granado. Testei outros depois, Natura, Johnson etc e não gostei de nenhum. Com um ano e meio seguimos no mesmo sabonete da granado kkk agora já sei que posso fazer estoque.

    As maternidades normalmente tem uma lista de itens pra levar, muda em todos. Acho que é legal pedir na sua.

    E carrinho não rola opinar kkk comprei individual, não deu certo. Troquei por um de gêmeos, menos ainda e resumindo não usamos nenhum hahaha

    Sobre o puerpério acho que é bem relativo. Na primeira semana sentia agonias todo entardecer, tipo final de domingo sabe? Um sentimento meio doido de angustia… Passou logo e fora isso não lembro de nada marcante.

    A gente tem que tentar não transformar coisas pequenas em problemas. Tudo faz parte!

    Ah, do peso, engordei 23… Perdi 26 kg e depois de para de amamentar voltei ao peso que estava antes… Obviamente que uma barriga pós gemeos nunca mais será a mesma kkkkkkk (ah e nem os seios pós amamentação)… que o corpo importa, com certeza, mas esse cuidado e essa preocupação volta aos poucos depois da gravidez, e no fim ela nem é tão trágica pq você pensa que foi por uma causa muito maior.

    Falei demais kkk
    Beijos, saúde para você e o Lucas!

  • Responder Aracele de Fatima Ferreira de Melo 02/02/2018 at 1:41 pm

    Paulinha, relaxe. Engordei 33 quilos na gravidez do Luiz Carlos e13 na do Luiz Henrique.

  • Responder Carla 02/02/2018 at 3:03 pm

    Paula, vc ta linda gravida, te vendo e lendo suas postagens sinto saudades do meu barrigão…. respondendo pra vc, não fiz estoque de nada e não vi necessidade, ate pq fralda por ex é bom vc ir provando a marca q gosta mais. Não fiz curso de gestante mas senti falta, fiquei bem perdida nos primeiros dias, acho q isso teria me preparado melhor. Qto a engordar eu sou bem neurotica tb mas na gravidez relaxei, engordei uns 11/12kgs no total, e perdi bem mais q isso em poucos meses, juro, vc nem percebe, no aniver de 1 ano do meu Leo estou bem bem magra. Amamentei em livre demanda mais de 1 ano, isso com certeza ajudou pq comia bastante no pos parto rs. Carrinho e demais itens nunca me atentei, comprei tudo basico e super resolveu aqui. Poltrona de amamentação me arrependo tb não ter comprado pq fez falta nas madrugadas. De dia amamentava mais no sofa da sala. Puerpério? Pra mim foi muito dificil. gostaria que tivessem me falado, me alertado, ta certo q tem mulheres que passam bem tranquilo, mas pra mim foi dificil, essa avalanche hormonal bateu aqui bem pesado. Qto mais vc ler sobre acho que ajuda. Eu não me atentei nisso na gravidez, me pegou de surpresa. É isso, desculpe o textão rsrs, adoro falar sobre isso. Bjossss

  • Responder Alyne 02/02/2018 at 3:03 pm

    Estou com os mesmos dilemas!! Estou de 22 semanas e engordei 6kg, sendo que perdi 3 no começo da gestação e agora veio esses 6 em menos de 2 meses, meu GO brigou e disse para eu me segurar!! Ontem peguei uma promoção na bebe STORE e comprei duas calças e várias blusinhas porque nada mais me serve!! Também perdi minha mãe e fico perdida não sabendo o que comprar pro bebe!! Não sei qual carrinho e nem o que mais é necessário!!! 😞😞

  • Responder Mariana 02/02/2018 at 7:25 pm

    Oi Paula,

    Creio que é a primeira vez que comento aqui, mas leio muito o seu blog e o outro (ciborgue aqui! o/). Enfim, vou tentar responder sobre as minhas experiências para ver se te ajuda de alguma maneira.

    Então, não fiz curso de nada, nem sobre os cuidados com o bebê. E olhe, eu fiquei aterrorizada com isso, mas isso foi porque na cidade onde moro, simplesmente não tem. Mas nasce seu filhinho, nasce também a intuição, sabe? Achava que comigo não ia ter isso e que isso era só conversa, mas é verdade. Mas um curso ajuda bastante, acho ideal fazer quando estiver com 35 semanas, mais ou menos. Ou mais para frente… ou até mesmo aquela consultoria que te visita quando Lucas nascer, até porque não é muita coisa. Agora sobre a amamentação, acho legal se informar um pouco antes, mas o ideal é uma boa consultora em amamentação quando o Lucas tiver pertinho de nascer, para ela te explicar como se preparar (existe uma massagem para ajudar na descida do leite e a desempedrar também que você mesma faz sem precisar de nenhum acessório extra, porque o leite desce com tudo, mas é só no início, depois se regulariza – e quem regularizará isso é o seu filho, rs) e quando ele nascer, ela te visita para te orientar na amamentação, na posição, na pega e te esclarecer tudo sobre, porque, olha, são muitos mitos, MUITOS, que muita gente pipoca na boa vontade pra gente, mas que na verdade não ajuda, pode até piorar uma determinada situação, sabe? É preciso saber filtrar essas informações e conversar com a consultora para entender o que é verdade e o que é mito. No meu caso, na maternidade onde meu filho nasceu, recebi uma assistencia maravilhosa de uma equipe (fono, psicologa e nutricionista especialistas em amamentação) no banco de leite humano. Elas me esclareceram tantas coisas, e são muitas informações para assimilar, mas que você vai pegando jeito com o tempo. Eu saí da maternidade super confiante!

    Sobre o carrinho, você pode comprar com mais calma mesmo depois do Lucas nascer, mas antes não tem problema. Acho legal aquele tipo 360 graus, bem compacto e prático (fecha e abre fácil) da marca Kiddo, é super confortável. O bebê conforto da mesma marca (geralmente vem junto) é maravilhoso também, cinto de segurança cinco pontos e o bebê fica bem encaixadinho e protegido <3

    Sobre o puerpério… Varia muito de cada uma e a intensidade disso também, a duração também, varia muito, pode durar até além de três meses. No meu caso, foi muito punk, mas não durou muito, graças a meu pai e meu marido (moro longe da família e meu pai veio me ajudar). E eu tive aqueles sintomas de "baby blues" que chamam e não sei qual a tradução para o português, mas é geralmente uma melancolia, mas que não chega a ser depressão. É bom dar uma lida sobre isso. É fato que a pessoa que nunca criou filho não faz ideia de como é, mesmo tendo convivido com uma (convivi com minha sobrinha desde que ela nasceu, acompanhei de perto todos os perrengues, mas nunca estive na pele da minha irmã, que é a mãe) e então, você acaba de ter filho e tem esse impacto, sabe? Não vou mentir, foi barra pesada no começo. Tanto psicologicamente, quanto fisicamente. Acho importante falar sobre isso de forma verdadeira, honesta. Para te ajudar a segurar essa barra, é legal ter uma boa rede de apoio, do marido, das pessoas, para que você não se prive do sono, determinar algumas tarefas entre você e seu marido…

    Além do puerpério, é bom ler sobre exterogestação (pesquisa "exterogestação GVA"), que não é fácil também, mas conhecendo sobre isso ajuda muito, você acaba tendo empatia pelo bebê, começa a entender o que ele sente, porque é algo muito assustador para o bebê estar no nosso mundo; e aceitar também é libertador. É uma fase que dura em média três meses também, mas que cada tempo que passa, vai melhorando.

    Outra coisa importantíssima para saber é o sono de bebê, que é completamente diferente do nosso. Se puder ler antes, é até legal, tem umas referências ótimas como a Elizabeth Pantley, que ela explica de uma forma muito clara como funciona o sono de bebê, o que é que ajuda, etc.

    Esses assuntos todos, eu queria ter sabido antes, teria sido mais fácil, sabe? Acabei aprendendo "na prática", mas acabou dando tudo certo, de toda forma. E vai dar certo com vocês também! Você vai ver como o amor entre vocês é uma coisa bem surreal e o que você imaginar, nem chegará perto disso até conhecer o seu filho e passar o tempo conhecendo-o <3

    Mais 1 dica – roupa que dê para você amamentar de boa; geralmente aqueles vestidos tipo wrap são ótimos e bem práticos;

    Espero que tenha te ajudado! Tentei ao máximo não escrever tanto, mas acabou saindo como um textão… enfim, beijos para vocês dois! ah, esse extrator de leite é MARAVILHOSO. Você vai ver que prático que é!

  • Responder Larissa 04/02/2018 at 11:07 pm

    Oi Paula, já troquei e-mails contigo durante os desesperadores 3 primeiros meses, enfim, após o difícil início da gestação cheguei às 22 semanas, e tbm cheguei na fase de me achar linda com a barriga e querer me cuidar e me mostrar grávida para o mundo (no começo achei que não teria essa fase, pois os hormônios judiaram de mim).
    Sobre estoques, não tenho nenhum. Apenas roupinhas mas só as RN e as P poderão ser suficientes, acho que vou comprar mais algumas M caso ela seja grande. Estoque de fraldas não penso em fazer, pois ocupam espaço, a bebê pode ser alérgica a alguma marca (meu afilhado nunca pôde usar Pampers por alergia de pele), e além disso fraldas são de fácil acesso então nao vejo necessidade de grandes estoques (mas tenho uns pacotes em casa já). O berço temos faz tempo, mas é depósito de todo o resto, até março já queremos ter tudo organizado por aqui, e esse é o sonho do momento. O carrinho optamos por facilidade em desmontar aliado a qualidade e conforto. Sobre peso eu perdi 4kg no início pq perdi o apetite, agora ja recuperei 1,5kg mas me alimento normalmente e de forma saudável sempre que possível. E mesmo sem ganho de peso as medidas aumentaram muito, os peitos já estão um número a mais e o quadril bem maior. A minha maior preocupação no momento é evitar estrias (tentar ao menos) então vivo besuntada de cremes e óleos para manter a pele hidratada.
    Beijos pra ti e pro Lucas, e não te preocupes, ja vi que ter algumas neuras é a praia das mamães de primeira viagem.

  • Responder Vanessa 05/02/2018 at 11:53 am

    – Fiz curso para gestantes no hospital onde ganhei o bebê. É bom pra dar uma noção de tudo. Li uns livros também. Mas… Descobri que a prática é muito diferente da teoria, cada bebê é de um jeito, e o meu não se encaixava em nenhuma teoria. Enfim, quis queimar todos os livros que li 😉

    – Estoque de nada… Chá de fraldas ajuda a ganhar um bom número de fraldas, eis um estoque bom! Gostei bastante de usar macacões no bebê. São práticos e eficientes.

    – Carrinho Quinny Zapp Xtra. Prático, relativamente leve e encaixa o bebê conforto (que vai no carro).

    – Mala de maternidade: Camisola com abertura pra frente, sutiã pra amamentar, modess gigante (ou fralda) pra depois da cesárea – rola uma mini-hemorragia, Roupinhas bonitinhas pra colocar no bebê (e tirar foto pra colocar no instagram pra gente ver :o)

    – Puerpério = Baby blues: angústia, tristeza, preocupação, desespero, peso da responsabilidade, choro, choro, choro… Umas 2 ou 3 semanas.

    – 3 meses finais: pra mim, tranquilo! 🙂 Hum… Alguns enjoos, mãos e pés inchados, a ponto de não caber nas minhas sandálias.

  • Responder janete toigo 06/02/2018 at 10:58 am

    Oi Paula,
    Bem rapidinho, só um conselho pra vc nesta fase, se pretende amamentar, prepare seu seio agora, massageie seu mamilo, puxe e forme bem o mamilo para evitar rachaduras depois durante a amamentação. Sofri muito com isso.
    Abuse dos cremes hidratantes na barriga, ajuda muito a não formar estrias (de preferência óleo de amêndoas).
    O resto tudo se ajeita.
    Boa sorte,
    Abraços

  • Responder Bruna Lima 15/02/2018 at 2:48 pm

    Olá Paula, acompanho você por aqui e pelo IG há muito tempo. Muito feliz em ver vc gestante e a evolução de seu Lucas e sua também. Imagino a falta que sua mãe faz, ainda mais nesse momento. Mas foque nas coisas positivas: Sua avó junto com você, seu marido, seus enteados e todas nós, suas leitoras que estamos aqui para tudo!
    Em relação a “dicas de maternidade” não posso ajudar, infelizmente. Tenho 37 anos, 10 de casada e não consigo engravidar. Tenho SOP e não ovulo, apesar de todo tratamento que já fiz. Enfim, vou tocando. Beijos e que Deus sempre esteja iluminando seu caminho.

  • Responder Carina 28/02/2018 at 2:55 pm

    Paula, não sou mamãe ainda, mas das amigas e familiares que tiveram babies, 10 entre 10 disseram a mesma coisa sobre poltrona de amamentação: não compre. Compre almofadas de amamentação (aquelas que “abraçam” a cintura da mãe, sabe?), umas três pelo menos para deixar espalhadas. Porque a poltrona te deixa meio presa ao quartinho, quando em basicamente todo o tempo tu estarás na sala, casa de alguém, até na rua.
    Fora que depois é mais um trambolho p dar um jeito quando o Lucas crescer.

  • Responder Nathalia Grün 06/03/2018 at 10:22 am

    menina, também to grávida (30 semanas agora) e não gostava de gravidas antes. agora eu super converso com todas e quero saber tudo sobre o assunto com elas heheuiehiuehue próximo post tu podia falar sobre o medo do parto? eu tento não pensar muito nisso, mas já tive uns pesadelos ehuiehieuie *medão*
    to adorando acompanhar teus relatos! beijo! saúde pro seu nene e pra toda sua família! <3

    • Responder Paula Pfeifer Moreira 06/03/2018 at 11:38 am

      Guria eu tb to na semana 30, acredita?? 🙂
      PS: eu tbm paraliso quando penso em PARTO kkkkkk to tentando NAO pensar!

  • Responder Nathalia Grün 06/03/2018 at 10:23 am

    p.s: engordei 10 kilos e tô apavorada com medo de engordar mais! :/

  • Deixe seu comentário

    This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.