Myself

09/09, 33 anos

09/09/2014

hp

 

09/09, 33 anos.

Hoje eu acordei lembrando do meu aniversário de 2013, que passei num restaurante com minha mãe e algumas amigas após voltar de uma consulta com o Dr. Lavinsky. Sei que devia ficar feliz, mas fiquei borocoxô recordando daquela noite. Primeiro, porque enquanto estava lá a única coisa que me passava pela cabeça era ir embora. Já estava tão de saco cheio de não conseguir conversar com as pessoas e de ficar vesga e tonta tentando acompanhar bocas e pegar o fio da meada nas conversas que situações assim eram tortura, não prazer. Segundo porque, apesar de conseguir disfarçar bem, eu estava petrificada de medo da cirurgia do IC que faria dia 28/09/2013. Um ano depois, estou aqui olhando para a tela do computador e contemplando o looping – louco e sensacional, assustador e encorajador – que minha vida inteira deu. A verdade é que pra entender o que significa voltar a ser uma pessoa que ouve você precisa ter vivenciado anos e anos de silêncio, e acho que por isso às vezes tenho tanta dificuldade de comunicar sentimentos e borocoxozismos às pessoas mais próximas. A reação dos ouvintes é, em 90% das vezes, ‘você tá ótima, f*$#&- se o passado e foco no presente’. Entendo racionalmente e concordo, mas ser atropelada por lembranças e sentimentos antigos faz parte e é inevitável. Não sei porque, mas hoje acordei assim: lembrando de quem eu era e de como me sentia sendo aquela pessoa. Aí recebi uma mensagem de vídeo de uma amiga pelo WhatsApp dando os parabéns (beijo, Marcela) e ela dizia que no ano passado havia me desejado força para as mudanças que viriam pela frente já que eu havia me proposto a uma grande mudança, e que ouvir era só uma consequência disso. Aí, pronto, acabou comigo e com meu rímel às 08:30 da manhã e cheguei num trabalho feito um panda psicótico. Só um ano depois é que parece que a ficha começa a cair direito. Na época eu não percebia que estava me propondo a uma grande mudança porque estava totalmente apegada à idéia de que iria ficar um pouquinho melhor do que estava. Mas aí fui atropelada por esse presente monstruoso que a vida me deu e hoje passo meu primeiro aniversário de nascimento (em 09/09 nasci e em 11/11 renasci) podendo fazer coisas como atender um telefonema e ouvir uma mensagem de voz ou de vídeo. E pensar que antes minha mãe me dizia: “Fulano ligou, fulana ligou e mandou um beijo“. É tão diferente!!! Enfim, no período de um ano ganhei minha vida de volta, fui arrancada da minha zona de conforto, precisei me redescobrir como ser humano e sinto uma gratidão incomunicável por tudo isso. 2014, ao que parece, é o primeiro ano do resto da minha vida.

Obrigada, obrigada, obrigada. <3

50 amaram.

Você também poderá gostar

5 Comentários

  • Responder Luciana 09/09/2014 at 11:17 am

    Que texto lindo, pela simplicidade, pela honestidade. Muita felicidade no seu dia de nascimento, e que todos os dias você lembre que renasceu, e seja mais feliz ainda. Bjo

  • Responder Carla Wiedekehr 09/09/2014 at 3:24 pm

    Parabéns Paula.
    Que esta data seja sempre comemorada com muita felicidade e conquistas.
    Tu merece sempre.
    Bj

  • Responder liane_b 09/09/2014 at 3:48 pm

    Parabéns pelo aniversário, Paula, e muitas felicidades nessa nova fase da sua vida.

  • Responder Analice 09/09/2014 at 4:45 pm

    Felicidades Paula! E mtas coisas novas ainda estão por vir, sempre!

  • Responder Marcela 09/09/2014 at 8:28 pm

    Feliz aniversário por escrito?

    Me nego. Nunca mais. Nevermore.

    <3

  • Deixe seu comentário